Lean Six Sigma Projeto

Introdução ao Lean

Lean é uma filosofia de gestão inspirada em práticas e resultados do Sistema Toyota de Produção.

Conhecido também como um conjunto de princípios e técnicas de produção que, quando aplicados corretamente, auxiliam as empresas a ganharem versatilidade e produtividade. Tem o objetivo de fornecer valor ao cliente, reduzindo o tempo de processo e focando na eliminação dos (07) desperdícios.

Lean nos remete a ideia de “magro” ou “enxuto”. Ou seja, trata-se de um método que institui o uso de nada além do que os recursos necessários para a realização de um determinado trabalho, etapa ou processo, evitando os desperdícios.

Para entender melhor este conceito, neste artigo vamos falar um pouco sobre o Sistema Toyota de Produção e os 07 desperdícios:

Sistema Toyota de Produção

Segundo o Wikipédia, o Sistema Toyota de Produção (Toyota Production System – TPS) é um sistema de produção desenvolvido pela Toyota entre as décadas de 40 e 70, que visa aumentar a produtividade e a eficiência, evitando os 07 desperdícios. Foi desenvolvido por Taiichi Ohno (29/02/1912 – 28/05/1990).

O TPS utiliza várias ferramentas e técnicas, como kanban, círculos de qualidade, QFD, células de trabalho ou de produção, entre outras.

Os 07 desperdícios

  1. Perda por produção excessiva: As perdas por superprodução podem camuflar ou induzir outras perdas, o que é extremamente negativo para a produção, difícil de se mensurar os custos e nem sempre são identificadas facilmente;
  2. Perda por espera: Sabemos que qualquer tipo de espera, dentro de um processo produtivo, pode representar um prejuízo imensurável, seja ele material, intelectual ou de qualidade;
  3. Perda por transporte: Dentro de uma indústria, normalmente o transporte não agrega valor ao produto, por isso, as perdas relacionadas à transporte precisam ser reduzidas ao mínimo possível;
  4. Perda no próprio processamento: Todo processo deve ser sempre revisto e passar por uma melhoria contínua. Afinal, o que é ótimo hoje, pode não ser tão bom amanhã. É importante verificar a velocidade de uma máquina, por exemplo, a performance de um colaborador, etc.;
  5. Perda por estoque: Já imaginou um produto perder a validade e estar no estoque ainda? A metodologia Lean determina o que, quanto e quando um determinado produto será produzido;
  6. Perda por movimentação: Excesso de movimentações podem induzir a perdas nos tempos de processamento, por exemplo, o que é danoso para qualquer produção;
  7. Perda por fabricação de produtos defeituosos: Todo produto, ou serviço, exige um nível de qualidade aceitável. Produzir algo, abaixo do nível de qualidade exigido, representará um retrabalho e incidirá em custos não previstos, podendo ocasionar o insucesso do projeto e prejuízos para a organização.

O Lean tem sido utilizado por diversas empresas, dos mais variados setores, transformando realidades gerenciais, potencializando resultados e melhor aproveitando o potencial o humano.

Isso mesmo, eu falei sobre “potencial humano”. Isso implica em repensar a maneira como se lidera, gerencia e desenvolve as habilidades das pessoas. Somente é possível descobrir novas oportunidades de melhorias e ganhos sustentáveis, através do engajamento das pessoas com o trabalho.

Para alcançar um objetivo claro, alguns questionamentos devem ser respondidos, como:

  • Qual é o propósito?
  • Qual é o problema que precisamos resolver?
  • Como melhorar o trabalho?
  • Como desenvolver pessoas?
  • Que estilo de liderança e sistema de gestão são necessários?
  • Qual é o pensamento básico?

Tendo os questionamentos acima respondidos, você terá um “norte” e saberá qual o melhor caminho a seguir. Poderá focar no(s) desperdício(s) e melhorar suas entregas, diminuindo os custos, motivando seu pessoal e atingindo a qualidade aceitável.

Nos próximos artigos, poderemos falar sobre as ferramentas e técnicas que podem ser aplicadas na Metodologia Lean.

Por favor, deixe seu comentário para que possamos melhorar nossos artigos. Opine, também, sobre quais assuntos gostaria de ver por aqui. Até breve!

Referências:

http://www.fm2s.com.br/espaco-lean/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Sistema_Toyota_de_Produ%C3%A7%C3%A3o

https://www.lean.org.br

Renato Cunha
Analista de Projetos na Swfast, a qual assumi a responsabilidade de implantar o Escritório de Gerenciamento de Projetos (PMO) e também atuo como Scrum Master em alguns projetos.

Atuei como Gerente de Projetos nos anos de 2016 e 2017 na LCS (a qual auxiliei na estruturação do Escritório de Gerenciamento de Projetos), sou formado em MBA em Gestão de Projetos pela Universidade Veiga de Almeida e graduado em Gestão da Tecnologia da Informação pelo UNISEB. Possuo mais de 12 anos de experiência na área de TI e há 04 anos atuando na área de gerenciamento de projetos.

Comentários

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.