Lean Six Sigma Projeto

Ferramentas Lean – FMEA

FMEA (Failure Mode and Effect Analysis – Análise do Modo de Falha e Efeitos) é uma ferramenta que pode fornecer uma abordagem sistemática e identificar para onde a atenção deve ser voltada, com o intuito de minimizar o risco de fracasso.

Também pode ser utilizada para antecipar e evitar a ocorrência de modo de falhas do processo, antes de se iniciar a produção ou prestação de serviços, e suas respectivas causas.

Antes de continuar a ler este artigo, tente responder esta pergunta:

Qual a principal dimensão de um produto, ou serviço, sob a perspectiva do seu cliente?

Ok, caprichei na pergunta, né? Mas, antes de responder, vou facilitar as coisas para que você encontre uma resposta:

Você compraria um produto, ou adquiriria um serviço, se este não fosse confiável?

Agora ficou mais fácil e a resposta é simples: Confiabilidade. É isso que você precisa transmitir para o seu cliente, a respeito do seu produto/serviço. E poderemos atingir esta dimensão através da filosofia Lean, utilizando a ferramenta FMEA1.

Tipos de FMEA

Esta ferramenta pode ser utilizada em 3 tipos de análises2:

  1. Análise FMEA de processo: é utilizada para analisar falhas e defeitos em um processo produtivo, onde as possíveis falhas são discutidas e pontos de melhorias são implantados;
  2. Análise FMEA de produto/projeto: é utilizada para analisar falhas e defeitos das funções de um produto/projeto, onde é possível discutir quais as possíveis falhas que podem ocorrer no atendimento de um determinado requisito;
  3. Análise FMEA de processos administrativos: é semelhante ao item 1, este considera as etapas de um processo administrativo. Devido as suas peculiaridades, é necessário identificar qual tipo de processo é pertinente para o caso, se produtivo ou administrativo.

Como utilizar FMEA?

Pode ser utilizado no próprio Excel, seguindo pelas seguintes etapas:

  1. Identifique a etapa do processo;
  2. Determine o modo de falha e efeito;
  3. Analise e pontue os riscos de cada modo de falha (Severidade, probabilidade de Ocorrência e probabilidade de Detecção);
  4. Defina quais serão os controles;
  5. Calcule o RPN (Risk Priority Number – Número de Prioridade de Risco);
  6. Aplique as melhorias necessárias e defina os responsáveis/prazo.

Para criar uma planilha FMEA, você pode utilizar o modelo abaixo:

Etapa Falha Efeito S Causa O Controles D RPN AÇÃO Responsável/Prazo

O RPN é um indicador que mostra por qual modo de falha deve-se começar a avaliar. Ele pode ser calculado através de um sistema de pontuação, constituído por três pontuações:

  • S (Severidade);
  • O (probabilidade de Ocorrência); e
  • D (probabilidade de Detecção).

Cada uma das três notas pode variar entre 01 e 10, e cada falha recebe uma nota por critério.  Após definido a nota, pode ser utilizado a esta fórmula simples:

S x O x D = RPN

Quanto maior for o RPN, maior será o risco envolvido e atenção que deverá ser destinada para esta falha. As melhorias podem ser identificadas com técnicas como o Brainstorm (confira o artigo: Brainstorming – Desenvolvendo o Potencial Criativo3 e, na sequência, listando as possíveis ações a serem realizadas para diminuir os riscos.

Estas medidas podem ser (mas não se limitar):

  • Prevenir totalmente um tipo de falha;
  • Prevenir totalmente uma causa de falha;
  • Dificultar a ocorrência de falhas;
  • Limitar o efeito do tipo de falha;
  • Aumentar a probabilidade de detecção do tipo ou causa de falha.

Com base nas informações anteriores, é possível realizar a determinação do impacto de uma falha sobre o cliente, da probabilidade de uma causa e/ou modo de falha ocorrer, antes que o problema atinja o cliente.

A figura abaixo representa o fluxo de implementação do FMEA.

Roteiro de Implementação do FMEA (Hammet, 2000).

FMEA e Lean

Já compreendemos que o FMEA pode elevar o nível de confiabilidade de um determinado produto ou serviço, através da identificação e eliminação do modo de falhas/defeitos, podendo ser uma excelente solução para alguns dos desperdícios: Perda por produção excessiva; Perda no próprio processamento; Perda por estoque; Perda por movimentação e, principalmente, Perda por fabricação de produtos defeituosos.

Benefícios do FMEA

Esta ferramenta tornou-se eficiente na identificação de defeitos e falhas nas áreas em que o desempenho pode estar se tornando obsoleto. Veja alguns dos (muitos) benefícios:

  • Aumento da viabilidade dos produtos ou serviços;
  • Redução/eliminação da ocorrência de defeitos e falhas;
  • Cálculo e avaliação de riscos para cada tipo de falha;
  • Identifica e permite melhorias nos projetos ou processos;
  • Aumento da confiabilidade do produto ou serviço.

Referências

Referências

  1. FMEA FM2FS
  2. Análise FMEA Voitto
  3. Brainstorming – Desenvolvendo o Potencial Criativo
Renato Cunha
Analista de Projetos na Swfast, a qual assumi a responsabilidade de implantar o Escritório de Gerenciamento de Projetos (PMO) e também atuo como Scrum Master.

Atuei como Gerente de Projetos nos anos de 2016 e 2017 na LCS (a qual auxiliei na estruturação do Escritório de Gerenciamento de Projetos), sou formado em MBA em Gestão de Projetos pela Universidade Veiga de Almeida e graduado em Gestão da Tecnologia da Informação pelo UNISEB. Possuo mais de 13 anos de experiência na área de TI e há 05 anos atuando na área de gerenciamento de projetos.

Comentários

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.