Projeto

Ferramentas e Técnicas PMBOK: Ativos de Processos Organizacionais

As organizações funcionam baseadas em processos. Esses processos visam a obtenção de determinados resultados. Os Ativos de Processos Organizacionais são os resultados dos processos implementados na organização em que o projeto decorre.

À semelhança do que acontece com os Fatores Ambientais da Organização também os Ativos de Processos Organizacionais servem de entrada à maioria dos processos de planeamento do PMBOK 4. No entanto, enquanto os primeiros são vistos como fatores que condicionam as opções de gestão do projeto e influenciam, positiva ou negativamente, os Ativos de Processos Organizacionais são sobretudo entendidos como fatores que ajudam à gestão e ao sucesso do projeto na medida em que representam o conhecimento que a organização obteve em projetos anteriores.

O conjunto de Ativos de Processos Organizacionais é muito diverso. O Guia PMBOK®1 descreve o subconjunto dos ativos mais relevantes, devendo o gestor de projeto ter em atenção que, dependendo da especificidade do projeto e da organização, outros podem existir.

Dependendo do tipo de setor, organização e área de aplicação, os Ativos de Processos Organizacionais podem ser organizados de formas muito diversas sendo habitualmente agrupados em duas categorias:

  • Processos e Procedimentos para a Realização do Trabalho:
    • Processos organizacionais incluindo normas, política de segurança e saúde e política de gestão de projetos, ciclos de vida padrão do produto e do projeto, e políticas e procedimentos de qualidade (por exemplo, auditorias de processo, objetivos de melhoria, listas de verificação e definições padronizadas de processos para uso na organização);
    • Diretrizes padronizadas, instruções de trabalho, critérios de avaliação de propostas de aquisição de produtos ou serviços e critérios de medição de desempenho;
    • Modelos (por exemplo, modelos de risco, modelos da estrutura analítica do projeto e modelos do diagrama de rede do cronograma do projeto);
    • Diretrizes e critérios para adequação do conjunto de processos padrão da organização para satisfazer às necessidades específicas do projeto;
    • Requisitos de comunicação da organização (por exemplo, a tecnologia de comunicação específica disponível, meios de comunicação permitidos, retenção de registos e requisitos de segurança);
    • Requisitos ou diretrizes para encerramento do projeto (por exemplo, auditorias finais do projeto, avaliações do projeto, validações de produtos e critérios de aceitação);
    • Procedimentos de controles financeiros (por exemplo, relatórios de horas, revisões de despesas e desembolsos necessários, códigos de contabilidade e cláusulas contratuais padrão);
    • Procedimentos de gestão de problemas e defeitos que definem controles de problemas e defeitos, identificação e resolução de problemas e defeitos e acompanhamento de itens de ação;
    • Procedimentos de controle de mudanças, inclusive os passos para modificação das normas, políticas, planos e procedimentos oficiais da empresa — ou quaisquer documentos do projeto — e como essas mudanças serão aprovadas e validadas;
    • Procedimentos para controle de riscos, incluindo categorias de risco, definição de probabilidade e grau de impacto;
    • Procedimentos para aprovar e emitir autorizações do trabalho.
  • Base de Dados de Conhecimento Corporativo:
    • Base de dados de medição de processos usada para recolher e disponibilizar os dados da medição de processos e produtos;
    • Arquivos do projeto (por exemplo, escopo, custo, cronograma e linhas de base da qualidade, linhas de base da medição de desempenho, calendários do projeto, diagramas de rede do cronograma do projeto, registos de riscos, ações de resposta planeadas e impacto de risco definido);
    • Base de conhecimento de informações históricas e lições aprendidas (por exemplo, registos e documentos de projetos, todas as informações e a documentação relativas ao encerramento do projeto, informações sobre os resultados de decisões a respeito da seleção de projetos anteriores e informações sobre o desempenho de projetos anteriores e informações do esforço de gestão de riscos);
    • Sistema para a gestão de problemas e defeitos contendo o fluxo de trabalho para a análise e resolução de problemas e defeitos e informações de controle;
    • Base de conhecimento sobre a gestão de configuração contendo as versões e as linhas de base de todas as normas, políticas, procedimentos oficiais da empresa e quaisquer documentos dos projetos;
    • Base de dados financeira contendo informações como horas de mão-de-obra, custos incorridos, orçamentos e desvios aos custos do projeto.
  1. PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. A Guide to the Project Management Body of Knowledge (PMBOK), 4th edition. Pensilvania: PMI, 2008  
Coimbra, PMP on FacebookCoimbra, PMP on LinkedinCoimbra, PMP on TwitterCoimbra, PMP on Youtube
Coimbra, PMP

CEO do portal, apaixonado por gestão de projetos, metodologias, minha família, professor, consultor, certificado PMP, Six Sigma White Belt.


Comentários

Deixe uma resposta