Escopo Projeto

Estrutura Analítica de Projeto (EAP / WBS)

[highlight type=”green”]Como escrever uma Estrutura Analítica de Projetos ou WBS (Work Breakdown Structure) de acordo com as normas da PMI, sem se atropelar nos entregáveis.[/highlight]

Uma EAP é bonita concisa e define muito bem qual será o escopo de um projeto, seja ele construir uma casa, montar uma adega, desenvolver um programa, ou até mesmo se organizar nas tarefas diárias. Mas como fazer isso?

Observando o capitulo de Escopo do PMBOK, pode-se notar a construção da WBS com seus respectivos entregáveis de maneira simples e completa, lembrando que ela sozinha não garante o sucesso de um projeto como um todo mas pode:

  • Definir todo o esforço de trabalho do projeto e somente o trabalho do projeto, esclarecendo todo seu escopo.
  • Reflete todas as entradas de todos os membros do time para se certificar das mesmas.
  • Provê uma linha de base para todos os controles de mudança subsequentes.
  • É a entrada inicial para os outros processos do gerenciamento de projetos – à exemplo Recursos, Planejamento, estimativas de custos, desenvolvimento do cronograma e identificação dos riscos.
  • Prove um framework para controle do projeto, monitoramento de performance, e fundamentos para comunicação com os stakeholders.
  • Garante que o trabalho do projeto é apropriadamente correlato com a matriz de responsabilidades, e a estrutura analítica organizacional.

Já uma EAP mal construída pode dentre outras coisas criar adversidades como:

  • Definição incompleta do projeto demandando diversas extensões da mesma.
  • Metas de trabalho pouco claras, objetivos, metas ou seus entregáveis.
  • Scope creep, ou não-gerenciáveis, frequentemente mudando o escopo.
  • Budget ultrapassado.
  • Deadlines perdidas nos cronogramas de entregáveis, ou a “derrapagem temporal”.
  • Novos produtos ou características inutilizáveis.
  • Falha na entrega de alguns elementos do escopo do projeto.

A EAP é criada em tempo de iniciação de um projeto, segue por toda área de planejamento e é essencial para esta fase dentro do projeto, é também utilizada na fase de execução, monitoramento e controle do mesmo.

No Guia PMBOK®1 o processo de criar a Estrutura Analítica de Projeto é explicado da seguinte maneira:

Criar a EAP é o processo de subdivisão das entregas e do trabalho do projeto em componentes menores e de gerenciamento mais fácil. A estrutura analítica do projeto (EAP) é uma decomposição hierárquica orientada às entregas do trabalho a ser executado pela equipe para atingir os objetivos do projeto e criar as entregas requisitadas, sendo que cada nível descendente da EAP representa uma definição gradualmente mais detalhada da definição do trabalho do projeto. A EAP organiza e define o escopo total e representa o trabalho especificado na atual declaração do escopo do projeto aprovada.

O trabalho planejado é contido dentro dos componentes de nível mais baixo da EAP , que são chamados de pacotes de trabalho. Um pacote de trabalho pode ser agendado, ter seu custo estimado, monitorado e controlado. No contexto da EAP, o trabalho se refere a produtos de trabalho ou entregas que são o resultado do esforço e não o próprio esforço.  Para informações específicas a respeito das estruturas analíticas de projetos, consulte The Practice Standard for Work Breakdown Structures– Segunda Edição.

ENTRADAS FERRAMENTAS E TÉCNICAS SAÍDAS
1. Declaração do escopo do projeto 1. Decomposição 1. EAP
2. Documentação dos requisitos 2. Dicionário da EAP
3. Ativos de processos organizacionais 3. Linha de base do escopo
4. Atualizações dos documentos do projeto

Analisando uma estrutura analítica de projeto:

Uma EAP tem certos níveis de qualidade, de acordo com cada nível as tarefas tornam-se menores aumentando a produtividade coletiva de um projeto, dividindo cada parte do trabalho para cada colaborador facilitando a compreensão e o trabalho a ser realizado.

Nível 1

No primeiro nível descreve-se o escopo completo do projeto neste caso uma casa. Nesta fase estão incluídos todo o trabalho, direto e indireto, este nível é uma visão geral do produto e é sempre um único item na EAP. Neste exemplo, o nível mais alto é representado pelo nome e pelo identificador da EAP para diferencia-lo das outras EAPs dentro de um programa ou de um portfólio de projetos o qual é membro. Pode não ser sempre o caso. Se o projeto é único, o identificador de topo, ou nível 1 pode não ser requerido. Caso o primeiro nível não for incluído, a numeração de níveis restantes da EAP vai mudar consideravelmente.

Nível 2

Este é o primeiro nível de decomposição. Este é o mais alto nível de estrutura nas maiores áreas de trabalho no escopo. Neste nível temos os mais básicos componentes do produto (suas atividades), durante a integração e o gerenciamento do projeto. Nesta parte você começa a definição e desdobramento do projeto como um todo, sempre numerada como #.# – exemplo (1.1).

Nível 3

Este nível decompõe uma maior área do nível 2 dentro de seus entregáveis, partes menores. É importante notar que 100% das regras são respeitadas no desenvolvimento de uma EAP. É nele que são definidos os entregáveis tangíveis de cada esforço de trabalho. Aqui a integração é decomposta nas suas entregáveis provisórias baseadas no ciclo de vida do projeto escolhido para este projeto, e deve ser numerado como #.#.# – exemplo (1.3.2).

Nível 4

Da mesma maneira cada área exclusiva do nível anterior deve ser decomposta ainda mais, se aplicável claro. Novamente a complexidade do trabalho vai guiar o número de níveis de decomposição da EAP. Note que o ciclo de testes é decomposto em 3 elementos: Teste de componentes é o teste de pré-montagem; teste de produto é o controle de qualidade para clientes de pré-teste; e teste de cliente é a entrega do produto, com seus ajustes finais, aceite do cliente, neste nível a numeração fica #.#.#.# – exemplo (Teste de Produto 1.6.4.2)

A imagem à seguir mostra como elaborar sua WBS de acordo com as normas PMI2.

Wbs padrão PMI

Referencias

  1. Guia PMBOK® 4ª edição 2008  
  2. The Practice Standard for Work Breakdown Structures – 2ª Edição  
Coimbra, PMP on FacebookCoimbra, PMP on LinkedinCoimbra, PMP on TwitterCoimbra, PMP on Youtube
Coimbra, PMP

CEO do portal, apaixonado por gestão de projetos, metodologias, minha família, professor, consultor, certificado PMP, Six Sigma White Belt.


Comentários

Deixe uma resposta