Agile Artigos Lean Six Sigma

Entendendo o Lean IT

Não fique enrolado com todo o jargão do Lean IT. Aqui estão explicações dos princípios mais importantes que você precisa entender.

Se você não estiver familiarizado com o conceito de Lean IT, pode ser fácil se perder no jargão e nas várias ferramentas.

Isso em parte porque não é uma estrutura inteiramente simples de explicar, e suas raízes existem há décadas. Muitos livros foram e continuam sendo escritos para tentar explicá-lo e expandi-lo.

Então, caso você esteja enfrentando essas dúvidas, aqui vai um rápido artigo com alguns dos princípios, grandes ideias e tendências ligadas ao Lean IT.

Comece aqui, e faça um curso1 depois!

1. A grande ideia é livrar-se dos desperdícios

Uma das maiores ideias do Lean IT é a eliminação de desperdício, de acordo com Steve Bell, autor de Lean IT e Run Grow Transform2.

Neste último, ele começa com um cenário em que um CIO fala sobre como seu orçamento está estourado. Ele sabe que cerca de 10% do seu orçamento é de desperdício.

Em uma grande empresa, 10% podem representar uma enorme soma de dinheiro que poderia ser melhor reinvestida em outros lugares.

2. É difícil inovar quando a maior parte do seu dinheiro vai para “manter as luzes acesas”

Em um outro artigo relacionado, Bell também falou sobre quanto dinheiro é gasto em operações do dia-a-dia. Pode ser bem mais de 50%.

O dinheiro que vai para estas operações, é no mínimo dinheiro que não pode ir em direção à inovação.

3. Tudo isso começou com fabricação

O Lean IT tem suas raízes na manufatura enxuta (Lean Manufacturing), que também defende a eliminação de desperdícios, mas no contexto da indústria de manufatura.

Você frequentemente encontrará referências ao Sistema Toyota de Produção3, que tem muito em comum com as práticas enxutas e as precede.

4. Existem cinco princípios principais

Existem cinco princípios fundamentais no Lean IT que se sustentam por cerca de duas décadas.

  1. Valor: A maneira de olhar o valor aqui é em relação aos clientes da empresa. Concentre-se nos serviços que a empresa está passando para o cliente.
  2. Mapeamento de fluxos de valor: um desdobramento da Universidade do Estado do Arizona define fluxos de valor como a combinação de esforço, entradas e resultados. “Você tem que olhar para o fluxo de valor de ponta a ponta. Você não pode simplesmente pegar uma parte dele. Você não pode simplesmente dizer que vamos ficar realmente bons no desenvolvimento de aplicações de alta qualidade em ciclos de duas semanas. Mas, então, nossa antiga mentalidade de governança e comando e controle significa que só podemos lançar no mercado a cada seis meses “, disse Bell.
  3. Fluxo: Fluxo é apenas sobre o que parece. Mais uma vez, o Lean IT intervém aqui para descrever o fluxo como o que acontece quando uma empresa garante que “o trabalho e o valor fluam de maneira rápida e suave ao longo do processo“. Parte da ideia é que esses processos continuam, independentemente de “limites funcionais ou de trabalho” que possam surgir.
  4. Pull: Lean IT descreve uma configuração tradicional em que o trabalho é empurrado “a jusante” em direção ao cliente. O problema é que, se houver uma brecha em algum lugar nesse processo, isso pode causar um backup com alguns tipos de consequências, o que acaba sendo um desperdício. Com o lean, essas etapas consideradas downstream definem o ritmo. “O trabalho só é feito quando um passo a jusante indica que está pronto para assumir o trabalho“, descreve o Lean IT.
  5. Busque a perfeição:Esta é a noção de melhoria contínua“, disse Bell. O Lean IT define como um negócio define qual é a sua visão de perfeição, no que diz respeito aos seus produtos e serviços e, em seguida, expõe qual é a visão do que a organização deseja realizar, como pode fazer isso, o que precisa fazer. e quanto tempo vai demorar), e quais são os benchmarkers.

5. O objetivo global é alinhar melhor a TI com o negócio

Essa é uma ideia que se envolve muito, dentro e fora do contexto do Lean IT. Mas, Lean ITé uma abordagem para melhorar uma situação em que o cliente do departamento de TI é o negócio, e o cliente da empresa é, bem, o cliente, e surgem problemas porque essas metas não correspondem – os departamentos de TI acabam sendo uma seção da empresa que não está trazendo dinheiro algum.

6. As empresas tendem a lutar mais com a identificação de fluxos de valor

TI é complexo. Bell descreveu uma situação, por exemplo, em que uma grande organização de TI pode ter milhares de pessoas e milhões de dólares em orçamento anual. A maior parte do orçamento está focada em manter as “luzes acesas”, como ele mesmo costuma afirmar.

Mas eles querem tentar coisas novas, querem inovar. Ao mesmo tempo, eles não têm muito tempo para voltar e consertar ou simplificar o que já fizeram. O resultado são anos ou até décadas de ajustes no sistema que degradam a integridade do sistema. “Muitos grandes bancos e outras organizações estão fazendo exatamente isso, mas você deve reprojetar seus processos com a noção de fluxos de valor em mente, afinal, estamos no negócio para atender nossos clientes.

O que quer que façamos, isso agrega valor aos nossos clientes, devemos continuar fazendo, e o que não precisamos, bem, precisamos encontrar uma maneira de superar isso “, disse Bell. A perspectiva deve ser olhar para a organização de TI como uma série de fluxos de valor conectados, e isso ajudará a esclarecer o fluxo de ponta a ponta.

7. As empresas também podem lutar para obter a cultura do Lean IT

O Lean IT é muito cooperativo, é muito orientado para a equipe, é muito orientado para o objetivo versus o plano“, disse Nathan Wilson, analista do Gartner. Ele também disse: “As práticas são bem diretas quando você recebe pessoas realmente dedicadas a fazer o que é melhor para o negócio, em vez de o que é melhor para sua parte de TI”.

Além disso, a cultura é algo que acontece ao longo do tempo. “Se você está procurando por uma transformação de longo prazo, é uma jornada de aprendizado e treinamento”, disse Bell.

8. Eles também tendem a pensar em Lean IT em termos de ‘implementação’

Há a propensão a pensar que o Lean IT funciona assim: “Você traz alguns recursos externos, faz alguma consultoria, faz algum trabalho e, em breve, dentro de seis meses a dois anos, declara-se ‘Lean‘.” Você planta uma bandeira da vitória, todo mundo pega uma caneca de café e a camiseta e pronto, “Bell disse. Não funciona assim.”

Claro, há o que Bell chamou de “melhorias rápidas” (quick wins) que uma organização pode perceber desde o início, mas o necessário é pensar a longo prazo e reconectar sua organização como uma cultura de aprendizado.

9. Às vezes os resultados são diferentes do que as empresas esperam

Wilson disse que a maior diferença que ele vê entre as organizações que estão pensando em fazer Lean IT e as que estão fazendo isso se resume às expectativas. Os primeiros pensam que vão poupar dinheiro e avançar rapidamente.

Os últimos tendem a falar em termos da capacidade de fornecer valor comercial, concentrar-se no trabalho mais importante e melhorar a qualidade. “Nós vemos nossos clientes começando [focados em] um conjunto de metas e o que eles alcançam acaba sendo um conjunto diferente. Eles estão muito felizes com o que recebem, mas é um conjunto muito diferente do que eles partiram para encontrar“. Bell disse.

Como puderam perceber, este é um curso indispensável para qualquer profissional de TI, especialmente para aqueles que desejam introduzir práticas ágeis ou estão trabalhando com melhoria de processos de TI. O Lean IT pode trazer ganhos impressionantes para o seu ambiente de trabalho.

Quer saber mais a respeito do Lean IT?

Inscreva-se no treinamento que ocorrerá em parceria com a ProjectStudy no centro do RJ, nos dias 26 e 28/11 e 3 e 5/12, serão 4 noites, em um curso que irá habilitá-lo (na verdade, é um pré-requisito) a prestar o exame de certificação Lean IT Foundation.

A LITA4 (Lean IT Association) é uma organização focada no desenvolvimento de programas de certificação para profissionais de TI especialistas na aplicação do Lean. Torne-se um profissional certificado em Lean IT5

Referências

  1. Curso Lean IT Foundation – Project Study
  2. Run Grow Transformation – Amazon
  3. Sistema Toyota de Produção – Wikipedia
  4. Lean IT Association
  5. Curso Lean IT – ProjectStudy
Edilson Barros, PMP on EmailEdilson Barros, PMP on Linkedin
Edilson Barros, PMP
Engenheiro Mecânico, com MBA em Gestão por Projetos e Gestão Empresarial pela FGV, além de Pós Graduação em Engenharia de Petróleo e Gás pela FUNCEFET. Experiência como Gerente de Engenharia em Indústrias Multinacionais, com foco em desenvolvimento de produtos e transferência de tecnologia, nos últimos anos atuando como Gerente de projetos nacionais e internacionais, relacionados ao fornecimento de equipamentos para os setores de Petróleo e Gás, Saneamento, Indústria Química e outros diversos setores.

Comentários

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.