Custo Projeto

Entendendo a TMA (Taxa Mínima de Atratividade)

O artigo desta semana discorre sobre um importante tema para o investidor, empresário ou patrocinador quando se realiza a análise da viabilidade de um projeto ou análise de viabilidade para um novo empreendimento.

Estou falando da TMA “Taxa Mínima de Atratividade” também conhecida como Taxa de Expectativa.

É uma taxa de juros muito usado nos indicadores financeiros como: PayBack, TIR (Taxa Interna de Retorno), ROI (Retorno sobre o investimento) entre outros.

O que é a TMA ?

A Taxa Mínima de Atratividade (TMA) é a um conceito relacionado da “Ciências Econômicas”. Basicamente representa a taxa mínima que um investidor se propõe a ganhar quando faz um investimento. Esta taxa é formada a partir de 3 componentes básicos:

  • Custo de oportunidade: São as remunerações que serão descartadas para a realização do investimento, como por exemplo caderneta de poupança, títulos do tesouro, etc
  • Risco do negócio: O ganho tem que remunerar o risco pertinente a ação. É imprescindível compreender que quanto maior o risco, maior é o retorno financeiro esperado.
  • Liquidez: Velocidade em que se pode sair de uma posição no mercado para assumir outra, em outras palavras, é onde será analisada a velocidade de conversão do investimento em caixa.

Quando se utiliza a TMA como taxa de juros de referência, entendemos ela como a taxa de desconto ao qual aplicam-se métodos em comparação em relação a um período de tempo, como por exemplo, o VPL (Valor Presente Líquido) ou o Custo Anual Uniforme para se determinar a viabilidade financeira de um projeto ou investimento.

Caso o resultado seja positivo, a TIR (taxa interna de retorno) supera a TMA e o projeto ou investimento é interessante. Em caso adverso, o resultado é negativo.

Flávio Costa on InstagramFlávio Costa on LinkedinFlávio Costa on Twitter
Flávio Costa
Gerente de Projetos na Hexagon
Gerente de projetos de T.I com mais de 15 anos de experiência desde desenvolvimento de software, gestão de portfólios, programas e projetos, formação de equipes de auto desempenho. Possuo as principais certificações internacionais como especialista em gestão de projetos: PMP e PMI-ACP pelo PMI (Project Management Institute), Prince2 Practitioner, Prince2 Agile Practitioner e MoP - Management of Portfólio pela Axelos (Abordagem britânica) entre outras certificações em Scrum Master e Product Owner (PSM e PSPO) além de ser oficialmente um PRINCE2® Accredited Trainer (Professor autorizado a ministrar curso de Prince2 Practitioner).

Gerenciou grandes projetos e programas de implantação de sistemas nos segmentos de comércio, varejo, engenharia, segurança pública e informações geográficas sempre com foco no relacionamento interpessoal, gestão de mudança com alto valor estratégico. Sempre engajado e comprometido em construir e liderar equipes para atingir as metas corporativas, entregar valores e benefícios a organização e clientes.

Atualmente é: Gerente de Projetos na Hexagon, Professor em gestão de projetos pelo Site Campus e colunista nos portais Projetos e TI e Profissionais TI.

Comentários

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.