Projeto

Como nascem os projetos?

Como nascem os projetos? Garanto que não é de uma ideia ou razão qualquer, nem mesmo do acaso. Se formos pensar em termos de organização, o projeto por ter início devido a alguns motivadores, que podemos dividir por exemplo em:

1 – Necessidade da organização 

Fica meio vago que tipo de necessidade é essa, mas é assim mesmo, já que existem tantas organizações e de tantos tipos que a necessidade da realização de um projeto fica subjetivo a necessidade de uma determinada organização.

2 – Demanda de mercado

Esta também pode se confundir com a necessidade da organização.  As exigências de um mercado, de um setor, podem gerar a necessidade de se iniciar um projeto.

3 – Solicitação do cliente

O cliente pode em diversos casos solicitar diretamente o que ele quer, e aí a empresa tendo o objetivo de satisfazer aquela necessidade inicia um projeto.

4 – Avanço Tecnológico

É só você parar pra pensar no segmento de informática ou até automobilístico para entender facilmente a quantidade enorme de projetos que surgem devido aos avanços tecnológicos necessários para atender uma demanda de mercado ou necessidade da organização.

5 – Requisito Legal

Normalmente isto gera projetos com o objetivo da empresa não perder tanto dinheiro, pois normalmente os requisitos legais ou mudança de legislação sempre vem exigindo alguma melhoria tecnológica ou adequação de processo e/ou procedimento.

6 – Necessidade social

Normalmente são projetos voltados para o Terceiro Setor, envolvendo projetos relacionados a comunidades, meio ambiente, responsabilidade social, etc.

E por aí vai… o importante é perceber que existem inúmeras razões para um projeto nascer, e a partir daqui, o próximo passo seria gerar um Business Case (Plano de Negócio) sintetizando todo levantamento feito para verificar a viabilidade do referido projeto, sempre levando em conta a demanda, o prazo, o custo, gestão estratégica e análise do ambiente.

Há toda uma literatura que ensina como se fazer um Business Case, e não iremos entrar em detalhes por ser um assunto para um post próprio.  Mas é importante saber também que as necessidades apontadas acima, normalmente não geram apenas um único projeto, mas vários projetos para atender várias alternativas. Nesse caso, é necessário utilizar uma metodologia para seleção do projeto para determinar qual realmente será mais viável e que atingirá o objetivo de forma mais eficiente para a organização.

O PMBOK não diz qual a metodologia a ser utilizada para esta seleção, até porque se pensarmos em termos de PMBOK, ele trata de um projeto já definido, PRONTO para iniciar, e o Gerente de Projeto teoricamente não deveria se envolver com isto, mas  aí você vai me perguntar:  o PMI simplesmente ignora esta seleção?  Calma lá, claro que não, para o PMI a área de Portfólios/Programas é que deveria cuidar disto, portanto é lá onde se deve aprofundar mais nesta metodologia de seleção de projetos.

Cada macaco no seu galho.

Mas existem várias técnicas, elas não são citadas no PMBOK, mas é importante estar familiarizado, tais como: Payback, Valor Presente Líquido, Taxa Interna de Retorno, Análise de custo-benefício, Valor Econômico Agregado, etc.  O importante aqui, é saber que um projeto não irá chegar para você do nada, e nem de nenhum guru, ele passará por diversas análises até se chegar a conclusão de que realmente vale a pena a fazer.

Mas lembre-se, mesmo assim, você como Gerente de Projeto, na hora em que estiver nas fases de iniciação e planejamento, poderá chegar a conclusão que o projeto não será viável, mesmo com a análise feita anteriormente.  Sabe por quê?  Porque na fase de seleção de projetos se trabalhou com estimativas brutas, grosseiras  e provavelmente não se levou em conta uma série de fatores, que só foi detectado quando você realizou por exemplo uma análise de risco mais abrangente, um levantamento de prazo e custo mais detalhado nas fases de Iniciação e Planejamento, portanto é responsabilidade sua como Gerente de Projeto informar a alta administração ou sponsor do projeto, caso a conclusão seja de inviabilidade. Fácil assim!

Edilson Barros, PMP on EmailEdilson Barros, PMP on Linkedin
Edilson Barros, PMP

Engenheiro Mecânico, com MBA em Gestão por Projetos e Gestão Empresarial pela FGV, além de Pós Graduação em Engenharia de Petróleo e Gás pela FUNCEFET. Experiência como Gerente de Engenharia em Indústrias Multinacionais, com foco em desenvolvimento de produtos e transferência de tecnologia, nos últimos anos atuando como Gerente de projetos nacionais e internacionais, relacionados ao fornecimento de equipamentos para os setores de Petróleo e Gás, Saneamento, Indústria Química e outros diversos setores.


Comentários

Deixe uma resposta