Agile Projeto

Benchmark Ágil: Entendendo o Scrum

Muito é dito sobre o mundo ágil, mas você já parou para pensar do que é compostos esse tal mundo ágil? De onde veio isso? Como cada metodologia poderia te ajudar?

Este é o primeiro de uma série de artigos tratando sobre algumas metodologias ágeis, são elas:

  • Scrum
  • XP
  • Crystal

Antes de entrarmos de cabeças nos métodos existentes, vamos entender de onde veio esse “movimento ágil”.

De onde Surgiu?

O manifesto ágil, foi o que deu origem ao atual movimento ágil. O manifesto ágil surgiu em 2001, quando um grupo de pessoas interessadas em debater o que chamavam na época de “métodos leves” (Lightweight Methods) se reuniram. A partir dessa reunião, com a presença de 17 pessoas, surgia o manifesto ágil, com 4 pilares e 12 princípios, que podem ser encontrados no site do manifesto ágil1.

Scrum

O Scrum é uma metodologia que foi durante muito tempo estudada para chegar a maturidade atual, com eventos, papéis e artefatos.

Nesta metodologia, há 3 pilares fundamentais, são eles:

  • Transparência: Como o Scrum prega que o time todo, deve saber de tudo a respeito do projeto, a transparência torna-se fundamental.
  • Inspeção: Utilizada para identificar possíveis variações indesejadas para a evolução do projeto.
  • Adaptação: Um das prerrogativas da metodologia é que o projeto, seja passível a adaptações. Por isso esta é uma metodologia iterativa e incremental.

Eventos no Scrum

Para conseguirmos trabalhar de forma adequada a cumprir com os pilares do Scrum, temos os eventos da metodologia, que são os seguintes:

Sprint Planning

O projeto deve ser planejado na Sprint, de modo a conter nesta, apenas uma parte das funcionalidades para a construção do produto. As funcionalidades previstas, devem ser priorizadas, de forma a trazer valor a cada sprint, partindo das funcionalidades que agregam mais valor ao produto, para as que agregam menos valor.

A Sprint deve ter uma duração pré definida. O Scrum orienta que as Sprints sejam executadas no intervalo de 4 a 2 semanas.

Para cada Sprint, deve-se ter uma parte da funcionalidade funcionando, ou seja passível de ver o resultado produzido durante a Sprint.

Daily Scrum

Em resumo, deve ocorrer em todos os dias em local definido e no mesmo horário. Deve-se passar por cada integrante do time fazendo as 3 perguntas básicas:

  • O que fez ontem?
  • O que vai fazer hoje?
  • Tem algum impedimento?

Todas essas perguntas devem ser respondidas pensando no que foi feito e será feito para atingir o resultado da Sprint.

Gosto de acrescentar na pergunta 3, o seguinte ponto “Tem algo importante para compartilhar com o time?”, isso faz com que a equipe possa compartilhar não só dificuldades, mas também itens que foram positivos.

Sprint Review

É utilizada para monitorar se o resultado obtido na última Sprint está aderente ao esperado, apresentando os resultados dos requisitos executados na Sprint.

Sprint Retrospective

Na retrospectiva deve ser verificado o que foi feito de positivo e o que foi feito de de negativo, de forma a decidir sobre mudanças para conseguir evoluir na próxima Sprint.

Observando friamente, podemos dizer que o Scrum de certa forma, é o ciclo PDCA (Planejar, Desenvolver, Checar e Agir), e realmente ele foi baseado neste ciclo, porém há muitos estudos e técnicas envolvidas para chegar a definição de Scrum que temos hoje.

Papéis no Scrum

Os papéis dentro desta metodologia, são bem definidos, são eles:

Product Owner

Responsável por definir de forma macro “business” os requisitos a serem executados, assim como fazer a priorização entre eles.

Scrum Master

Este deve agir como um coaching para o time, mostrando e aplicando técnicas do Scrum, assim como ajudando a equipe nas adaptações necessárias do Scrum para os seus projetos. Este tem o papel de ser um facilitador para o time.

Dev Team

É quem executa as atividades planejadas na Sprint. É o time que define como os requisitos planejados serão feitos, assim como executa as atividades do Scrum.

Dessa forma o Scrum considera o time auto gerenciável. Para que essa consideração seja de certa forma cumprida, é importante que o time esteja na faixa de pessoas definidas como ideal pelo Scrum, que vai de 3 a 9 pessoas por time.

Artefatos do Scrum

Trabalhando com a metodologia Scrum, devemos produzir alguns artefatos que irá alimentar o nosso ciclo do Scrum.

Backlog

São os requisitos necessários para a produção de um produto. O backlog possui duas divisões, o Product Backlog e o Sprint Backlog.

Product Backlog

No Product Backlog, deve conter todos os requisitos inerentes ao produto que deverá ser concebido a partir do projeto.

Sprint Backlog

Na Sprint Backlog deve estar registradas, todas as atividades que deverão ser feitas na mesma. Sendo assim, deve haver um processo de priorização dos requisitos do produto, sendo alocadas atividades que serão executadas e produzirão algo de valor ao final da Sprint que está sendo planejada.

Todo o backlog deve ser controlado pelo PO (Product Owner), assim como a definição dos itens do backlog que entrarão para a Sprint.

Conclusão

Em suma, muitas empresas adotam partes das atividades do Scrum, adaptando elas á sua realidade. Hoje pactuo da realidade de muitos projetos e membros dos times sendo compartilhados entre estes projetos, por isso os eventos Scrum são executados com a mesma premissa, porém de forma mais macro, trabalhando de certa forma sobre o portfólio de projetos.

Além disso, há “pequenas” sprints para os projetos em andamento que possuem maior demanda, de modo a permitir que o time esteja alinhado com os objetivos do projeto.

Indico uma boa leitura sobre o tema, o livro do co-criador do Scrum, Jeff Sutherland “A arte de fazer o dobro do trabalho, na metade do tempo.” Após a leitura desse livro, e vivenciando o Scrum há alguns anos, pude aplicar alguns conceitos do Scrum em uma Tapeçaria de reforma de estofados, bem diferente da realidade de times de desenvolvimento de software, que é onde mais se vê a aplicação dessa metodologia.

Este é um dos pontos que o livro retrata em seus capítulos, a possibilidade de aplicação em diversos tipos de empresas, não restringindo a apenas empresas de um segmento.

O Scrum é um framework simples, mas que rende bastante dedicação para colocá-lo em pleno funcionamento. Comece a utilizar hoje mesmo o Scrum, com o tempo você fará as adaptações necessárias.

Há muito a ser discutido e apresentado sobre o Scrum, podemos pensar em uma outra série de artigos sobre aplicações do SCRUM, o que acha?

Referências

  1. http://agilemanifesto.org/
Herbert Miranda on Linkedin
Herbert Miranda
Pós-graduando em Gerenciamento de Projetos, associado PMI-Project Management Institute, pós -graduado em Desenvolvimento de Aplicações Móveis. Atua como Líder de Projetos em diversos projetos de T.I.

Comentários

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.