Gestão Estratégica

As Forças do Ambiente Organizacional – Conflitos

O principal aspecto do conflito não é o fato dele existir ou não, mas sim, o gerenciamento do conflito. “Um conflito normalmente ocorre quando há divergências de ideias e opiniões, onde há necessidades, interesses e problemas distintos”1.

Este é o 4º artigo da série: As Forças do Ambiente Organizacional. Acredito que você esteja acompanhando desde o início. Caso não, recomendo que leia o primeiro artigo, para um melhor entendimento.

O conflito organizacional surge quando uma parte visualiza a outra como obstáculo à satisfação de suas preocupações, podendo provocar a frustração e, posteriormente, leva-lo a reagir em face da outra parte. Alguns estudiosos afirmam que o conflito é uma disfunção do ambiente de trabalho. Porém, quando gerenciado de maneira eficaz, o conflito pode ser benéfico, ajudando a atingir as metas e os objetivo.

É muito comum nos depararmos em situações de conflitos em nossa vida. Somos diferentes em necessidades, opiniões e, dependendo de como encararmos estas diferenças, pode nos conduzir à um modo construtivo de resolução de conflitos. Este deve ser o nosso objetivo. Conflitos fazem parte da natureza humana e não devemos atribuí-lo à uma conotação negativa, independente do grau de complexidade. Se gerenciado de forma positiva, pode ser uma fonte de criatividade; enquanto que, se gerenciado de forma negativa, pode gerar um ambiente improdutivo.

Segundo Berg (2012), existem três tipos de conflitos: pessoal, interpessoal e organizacional.

Conflito Pessoal

É definido pelo modo como a pessoa lida consigo mesma. São inquietações, dissonâncias pessoais e o contraste entre o que se pensa e como age. É importante ter cuidado com este tipo de conflito, pois, pode-se levar a determinados estados de estresse e atrito.

Conflito Interpessoal/Grupal

Como dito no início, são as diferenças entre 2 (ou mais) indivíduos. Apesar de estarmos tratando de Conflitos Organizacionais, a maioria dos atritos e desavenças são de origem interpessoal ou em grupo, podendo ser mais difíceis de lidar.

Conflito Organizacional

Diferente dos demais conflitos, este não é fundamentado em sistema de princípios, valores e crenças pessoais, e sim no resultado das constantes mudanças dentro da organização e dinâmicas organizacionais onde, algumas vezes, podem até mesmo ser externas às empresas.

Este conflito não é o mais comum e também pode surgir quando há disputa de poder, sistemas de recompensa conflitante, disputa por recursos escassos, entre outras razões.

Tipos de Conflitos

Chiavenato (2004) afirma que o conflito pode ocorrer em alguns níveis de gravidade, conforme resumo abaixo:

  • Percebido: as partes compreendem a existência do conflito;
  • Experienciado: o conflito provoca sentimentos de hostilidade, raiva, medo, etc., mas não é manifestado externamente ou com clareza;
  • Manifestado: ocorre através de comportamento, por ao menos uma das partes.

“O conflito é inevitável, o administrador precisa conhecer a respeito de suas possíveis soluções ou resoluções. A solução de um conflito passa quase sempre pelo exame das condições que o provocaram” 2.

Podemos dizer que a maioria dos conflitos surge das relações interpessoais que, às vezes, é mais difícil de lidar. Não é fácil fazer com que os outros consigam visualizar os mesmos conceitos que vemos, principalmente os valores essenciais do trabalho. Todos queremos atingir um determinado objetivo, porém, cada um acredita que o seu caminho é o melhor à ser trilhado e, na maioria das vezes, pensamos que os outros tem a mesma visibilidade que nós.

A melhor forma de minimizar os problemas causados pelo conflito é a Liderança, saber como conduzir o processo mostrando que os conflitos que visam a melhoria do trabalho, qualidade, produto e processo são positivos. É importante saber facilitar o processo, garantindo que os conflitos negativos sejam evitados. Se bem gerenciado, o processo trará mais benefícios do que malefícios para o ambiente organizacional.

Bom, percebe-se que este é mais um universo à ser desmistificado, para que possamos compreender e lidar melhor com os conflitos no Ambiente Organizacional. Portanto, este assunto poderia render outros artigos e espero que você continue nos acompanhando nos próximos. Até breve!

  1. Fernando Montero da Costa, diretor de Operações da Human Brasil  
  2. CHIAVENATO, 2004, p. 416  
Renato Cunha
Analista de Projetos na Swfast, a qual assumi a responsabilidade de implantar o Escritório de Gerenciamento de Projetos (PMO) e também atuo como Scrum Master em alguns projetos.

Atuei como Gerente de Projetos nos anos de 2016 e 2017 na LCS (a qual auxiliei na estruturação do Escritório de Gerenciamento de Projetos), sou formado em MBA em Gestão de Projetos pela Universidade Veiga de Almeida e graduado em Gestão da Tecnologia da Informação pelo UNISEB. Possuo mais de 12 anos de experiência na área de TI e há 04 anos atuando na área de gerenciamento de projetos.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *