Riscos

Um pouco sobre Riscos – Parte I

Gerenciar riscos em um projeto é uma tarefa difícil que requer esforço e dedicação, neste artigo descreverei um pouco sobre o conceito e na próxima parte escreveri rapidamente sobre algumas ferramentas.

O gerenciamento de risco de um projeto inclui planejar, identificar, analisar, planejar respostas, monitorar e controlar os riscos estes objetivos são para reduzir a probabilidade e o impacto dos riscos negativos e aumentar a probabilidade e o impacto dos riscos positivos. O Gerenciamento de Riscos é um processo sistemático de definição, análise e resposta aos riscos dos projetos cujo objetivo é maximizar os eventos positivos e minimizar as consequências dos eventos negativos.

Os principais processos de gerenciamento de riscos do projeto são

O risco é um evento ou uma condição incerta que se ocorrer tem um efeito em pelo menos um objetivo do projeto, os riscos conhecidos são aqueles identificados e analisados, possibilitando o planejamento de respostas. Determinados riscos não podem ser gerenciados de forma pró-ativa, o que sugere a criação de um plano de contingência, as organizações e as partes interessadas estão dispostas a aceitar vários graus de riscos, o que é chamado de tolerância aos riscos. Os riscos são aceitos se estiverem em equilíbrio com as recompensas que podem ser obtidas ao assumir o risco. Exemplo: o risco do paralelismo de atividades pode ser compensado por uma data de término antecipada, a comunicação sobre os riscos e a forma de como lhe dar com eles deve ser aberta e sincera.

De acordo com o Guia PMBOK1 “O risco do projeto tem origem na incerteza existente em todos os projetos. Os riscos conhecidos são aqueles que foram identificados e analisados, possibilitando o planejamento de respostas. Determinados riscos não podem ser gerenciados de forma proativa, o que sugere que a equipe do projeto deveria criar um plano de contingencia. Um risco do projeto que já ocorreu também pode ser considerado um problema”.

A avaliação do risco vai estimar as duas dimensões principais do risco: a incerteza (descrita pela possibilidade de ocorrência) e as consequências, se o risco ocorrer (descritas como impacto) apenas os riscos genuínos têm estas duas características, pois a causa é certa (já ocorreu; não têm probabilidade associada) e os efeitos são a descrição dos impactos.

Existem fontes comuns a vários fatores de risco que podem ser categorizadas e analisadas, as categorias de risco refletem esta condição, permitindo uma visão mais sistemática que facilita a identificação de riscos.

Dentre estas fontes podemos classificar as seguintes categorias de acordo com a tabela2

Categoria do risco

Aplicação

Riscos técnicos

Qualidade ou Desempenho: inclui o uso de tecnologias não comprovadas, exigência de atingir metas de desempenho não realistas.

Riscos da gestão do projeto

Alocação inadequada de tempos e recursos, qualidade inadequada do plano do projeto, uso inadequado de disciplinas da gestão de projetos, estimativas irrealistas ou incompletas, problemas com fornecedores ou subcontratantes, falhas de comunicação, inabilidade ao tomar decisões do projeto.

Riscos da organização

Objetivos de custo, prazos e escopo internamente incoerentes falta de priorização dos projetos, financiamento inadequado ou interrompido, conflitos sobre recursos com outros projetos da organização.

Riscos externos

Provenientes de influências externas ao ambiente como, alterações em leis e regulamentos, mudanças em tendências de mercado, questões trabalhistas, e influências externas ao ambiente como, mudanças de prioridades de sponsors e stockholders, alterações meteorológicas, de entidades que tenham o poder de influencia sobre o projeto ou a organização responsável pelo projeto e riscos físicos para os quais podemos desenvolver planos.

Riscos de força maior

Terremotos, inundações, perturbação da ordem, efeitos climáticos em geral geralmente não são considerados riscos do projeto, uma vez que não é possível administra-los.

As ferramentas para identificação e definição de riscos serão abordadas na 2ª parte deste artigo.

Referencias

  1. Guia PMBOK 4ª edição 2008  
  2. Tabela 1 – Categorias habituais de Risco – Fonte: SENAC – Aulas de Gerenciamento de Risco – Adaptado pelo autor  
Coimbra, PMP on FacebookCoimbra, PMP on LinkedinCoimbra, PMP on TwitterCoimbra, PMP on Youtube
Coimbra, PMP

CEO do portal, apaixonado por gestão de projetos, metodologias, minha família, professor, consultor, certificado PMP, Six Sigma White Belt.


Comentários

Deixe uma resposta