Truques mentais Jedi para usar no trabalho

Durante a minha carreira de 15 anos em TI eu aprendi (na marra) algumas coisas…
Uma delas é que não importa o conhecimento técnico que você tem, a maior dificuldade que terá no trabalho será lidar com as pessoas. E como meu objetivo era avançar na minha carreira eu sabia que teria que aprender a lidar com isso.

Vou mostrar aqui o que eu busquei e apresento algumas técnicas básicas para você usar a partir de agora.
Isso é um resumo da minha palestra no Congresso de TI chamada “Truques mentais Jedi para usar no trabalho”.
Você pode saber mais sobre essa palestra aqui.

Se tornando mais (emocionalmente) inteligente

Assim que os meus relacionamentos começaram a complicar eu busquei ajuda de duas pessoas: uma terapeuta e um mentor na empresa.
A terapeuta poderia me analisar e trabalhar os meus sentimentos para que eu tivesse controle total sobre as minhas emoções, enquanto o mentor poderia me ajudar na minha postura e competências profissionais para que eu fosse o mais eficaz possível. Os dois não se conheciam, e o susto veio quando ambos recomendaram que eu lesse o mesmo livro “Inteligência Emocional” do Daniel Goleman.

Esse é um livro Best Seller e criou um fenômeno que tornou o assunto conhecido no mundo todo e marcou o início de uma nova linha de trabalho para as pessoas de todas as profissões: o controle emocional. Logo depois desse livro, Goleman lançou o “Inteligência Social” que teve igual impacto em todas as pessoas a na forma como olhamos para os nossos relacionamentos.

Anyway…  Eu levei esse susto pois parecia que todo mundo sabia o meu problema, menos eu. Depois de ler o livro eu entendi que olhar pra dentro de nós mesmos e nos conhecermos é mais difícil que observar (e criticar) as características de outras pessoas.

Outro detalhe importante foi entender que todo aprendizado passa por 4 etapas:

II – Incompetente Inconsciente

Quando você não sabe que falta uma determinada característica em você.

IC – Incompetente Consciente

Quando você percebe que possui uma falha, a falta da característica que quer evoluir.

CC – Competente Consciente

Quando você cria essa caracteristica de forma artifical, ou seja, atua conscientemente para apresentá-la.

CI – Competente Inconsciente

Quando você já praticou tanto a nova característica que ela se torna natural e você passa a tê-la como parte de você.

A primeira etapa da minha transformação foi aprender a entender os que eu sentia quando eu lidava com os malas… digo… colegas de trabalho. 🙂
Quando eu passei a entender e controlar as minhas próprias emoções eu consegui me tornar uma pessoa mais inteligente emocionalmente, mas isso não foi em pouco tempo. Até hoje eu aplico as técnicas para ter controle emocional total sobre mim. Estou sempre buscando o estado “Jedi”. (espero que você conheça os Jedis da série Star Wars 🙂 )

Depois que eu passei a ter um maior controle emocional sobre mim eu parti para a próxima etapa, que era identificar as emoções nas outras pessoas. E da mesma forma como você passa a ter controle sobre as suas emoções depois que as entende e atua conscientemente sobre elas até exercer um controle absoluto, também é possível fazer isso com as emoções de outras pessoas. E exercendo controle sobre as emoções de outros te permite levá-las para a direção que você quer.

AVISO: O lado negro da força

Opa! Tocou o alarme.
Por acaso a palavra “manipulação” apareceu na sua cabeça?
Sim, é possível controlar pessoas intencionalmente, e isso não é difícil de entender.

Por acaso você já esteve com pessoas que tem uma energia negativa, que te deixa pra baixo, mesmo sem você saber explicar exatamente por quê? Isso é a influência de sentimentos atuando no nível subconsciente, ou seja essas pessoas não querem o teu mal, mas as emoções negativas delas acabam te afetando. O mesmo acontece com pessoas de energia boa, aquelas pessoas que você quer estar sempre junto.

Mas uma coisa é alguém fazer outra pessoa se sentir bem ou mal por causa da sua energia (“vibe”), outra é você aplicar isso intencionalmente em alguém para provocar uma emoção com intuito de conseguir algo que não faz bem para a outra pessoa. Geralmente essa emoção é o medo, uma das emoções mais poderosas que sentimos, e esse é o caminho para o lado negro. Sério!

Se você não for uma pessoa com ética, o que eu vou mostrar aqui pode significar o início do caminho para o lado negro para você. E o que acontece nesse caso é que, por mais que você consiga manipular as pessoas e conseguir o que quer no curto prazo, as pessoas sentem isso, e vão começar não só a se afastar de você como também a te minar, pois o contra-golpe do medo é a traição.

Recado entendido?
Ótimo! Vamos em frente…

Aprendendo a falar

“Cada palavra que você fala é uma afirmação de quem você é.”

Eu aprendi que tudo o que a gente fala tem poder. É não só do que falamos, mas principalmente de como falamos, que faz toda a diferença no que pensam de nós. E como é o pensamento que dirigie a ação, isso determina a forma como as pessoas agem conosco. Está vendo onde eu quero chegar? Ou melhor… escutando dentro da sua cabeça?

Então aqui vão algumas táticas simples mas eficazes que você pode usar a partir de agora.

1. Atitude não-verbal

Vejo muita gente falando algo com as palavras e não expressam a mesma coisa com a linguagem corporal ou tom de voz. Quando estiver pedindo algo para alguém, ou explicando uma idéia sua para convencê-la, preste atenção no gesto que faz com a sua cabeça. Muita gente move a cabeça para os lados enquanto faz isso, o que demonstra fraqueza e incerteza. Sempre que precisar encorajar, convencer ou solicitar algo importante pra você, faça um movimento pra frente com a sua cabeça, demonstrando certeza e intenção.

2. Às vezes não falar nada já diz tudo

Tenho certeza que em algum momento no trabalho você já recebeu alguma resposta de alguém e você se sentiu “enrolado” (enganado) por essa pessoa, acertei?
As “desculpas esfarrapadas” são comuns, e a atitude normal é respondermos a essa desculpa com mais perguntas, para tentar extrair a verdade pois sabemos que tem algo por de baixo dos panos. Isso geralmente não funciona.
Ao invés disso, ao receber uma “sabonetada”, ao invés de fazer mais perguntas, fique em silêncio, com olhar fixo e sério (mostrando uma descrença) na pessoa que está tentando dar a esquivada. Isso a deixará numa situação desconfortável e angústiante enquanto você mostra a sua seriedade quanto ao caso.
Quanto mais você praticar isso com as mesmas pessoas que tem o hábito de desviar das suas cobranças, mais elas vão entender que você é sério quando faz tais solicitações e ela aprenderá a te dar mais respostas verdadeiras.

A palestra

Outras táticas simples que uso são “A pergunta holofote” e “O campo de força”, mas detalhá-las aqui vai transformar esse post num pequeno livro.
Eu vou dar uma palestra gratuita online no Congresso de TI onde eu detalho essas e outras táticas na minha palestra, que você pode saber mais aqui.

Que a força esteja com você!

Abraço,
Marco Enes

Comentários

comentarios

Marco Enes, PMP
na