Tecnologia

Redes Industriais

Com o avanço da tecnologia e a necessidade de integração entre máquinas e sistemas de controle, as redes industriais são de fundamental importância para obter-se eficiência e confiabilidade no sistema produtivo.

Redes industriais são sistemas distribuídos com diversos elementos que trabalham de forma simultânea com o objetivo de supervisionar e controlar um determinado processo. Uma troca rápida e precisa de informações entre sensores, atuadores, computadores, CLPs, entre outros.

Para a implantação de um sistema como esse, a empresa terá que realizar uma pesquisa detalhada para saber qual sistema baseado em redes serviria para sanar as suas necessidades. No mercado existem empresas especializadas na integração desses sistemas, mas nem sempre é o certo para todas, o padrão poderá acarretar outros problemas ou não resolver os já existentes.

O ponto positivo nessa padronização é que disponibilizam em três níveis hierárquicos para a interconexão de diferentes tipos de equipamentos.

O mais alto da hierarquia é o que interliga os equipamentos responsáveis pelo planejamento da produção, controle de estoque, previsões de vendas, etc. Ao ser implantado, são usados softwares gerenciais, tais como sistema SAP, Arena e outros. Nesse nível o protocolo TCP/IP com padrão Ethernet é o mais utilizado.

No nível médio é onde encontram-se os CLPs e CNCs responsáveis pelo controle e informações a respeito de robôs, máquinas- ferramentas, transportadores e etc. No nível mais baixo dessa hierarquia temos o que se refere à parte física onde localizam-se sensores, atuadores, contatores e etc.

A classificação das redes industriais é baseada nos três níveis, mas não é exclusiva para cada um. O tipo de equipamento conectado por cada tipo de rede industrial divide- se da seguinte maneira:

  • Rede Sensorbus – dados no formato de bits – Conecta equipamentos simples e pequenos diretamente na rede. Não cobrem grandes distâncias. Tem o objetivo de manter os custos os mais baixos possíveis;
  • Rede Devicebus – dados no formato de bytes – Preenche os espaços do sensourbus e fieldbus e pode cobrir distância de 500 m. Tem a mesma capacidade de transferência do sensourbus, mas consegue gerenciar mais equipamentos e dados;
  • Rede Fieldbus – dados no formato de pacotes de mensagens – Interliga os equipamentos de I/O mais inteligentes e pode cobrir maiores distâncias. O processo de transferência pode ser longo, mas consegue a comunicação com diversos tipos de dados.
Coimbra, PMP on BehanceCoimbra, PMP on FacebookCoimbra, PMP on LinkedinCoimbra, PMP on Youtube
Coimbra, PMP
Gerente de Projetos, PMO, CEO do portal Projetos e TI, Professor de Pós/MBA e apaixonado por gestão de projetos.
Associado ao PMI
Associado ao IPMA

Deixe seu comentário