PRINCE2 Projeto

PRINCE2 – Estrutura e Princípios

A algum tempo fiz um curso de introdução a metodologia PRINCE2 (PRojects IN Controlled Environments) então algumas anotações do curso serão abordadas aqui e no futuro poderemos detalhar melhor cada um de seus princípios, temas e processos, então vamos à uma pequena introdução das anotações que fizemos, digo fizemos pois estas anotações foram compiladas por meu amigo Henrique Moisés.

O que é um projeto?

“Organização temporária criada com o objetivo de entregar um ou mais produtos de negócio de acordo com o Business Case acordado”

Managing successful projects with PRINCE2

  • Temporário (Início e término definidos)
  • Único (Particularidades)
  • Multifuncional (Especialidades)
  • Movido por incertezas (Executado por pessoas, Recursos limitados)
  • Gera mudanças
  • Sequencia clara e lógica

Um projeto nasce de uma necessidade e é concebido após uma análise de viabilidade. Um projeto PRINCE2 é concebido em um ambiente formado por fornecedor e cliente.

O que devemos gerenciar em um projeto baseado em PRINCE2?image

Estrutura do PRINCE2

O PRINCE2 é composto por 7 princípios, 7 temas e 7 processos.

Princípios

Temas

Processos

Justificativa contínua do negócio Business Case Starting up a Project
Aprender com a experiência Organização Directing a Project
Definir papéis e responsabilidades Qualidade Initiating a Project
Gerenciar por estágios Planos Controlling a Stage
Gerenciar por exceção Risco Managing Product Delivery
Foco no produto Mudança Managing a Stage Boundary
Customização ou adaptação (tailor) Progresso Closing a Project

image

Princípios do PRINCE2®

Justificativa contínua do negócio

  • Justificativa no início do projeto
  • Continuidade durante o projeto
  • O fim deverá justificar os meios
  • Objetivo específico (Um produto)
  • Alinhamento com a estratégia corporativa

Aprender com a experiência

  • Capturar lições aprendidas (Informações históricas, O que foi feito certo? O que foi feito errado? O que faria diferente?)

Definir papéis e responsabilidades

  • Executivo (Representante do Gerenciamento corporativo ou do programa, Defende os interesses do negócio)
  • Gerente do projeto (Responsável por gerenciar o projeto, Criar as estratégias de Gerenciamento e Papéis e responsabilidades, Montar e apontar a equipe de Gerenciamento do Projeto, Entre outros.

Habilidades:

  • Comunicação
  • Organização
  • Finanças e contabilidade
  • Liderança
  • Negociação
  • Trabalhar em equipe, motivar e envolver os liderados
  • Pratica do feedback
  • Usuário(s) Sênior(s) – (Representa o Cliente Principal, Responsável por especificar o produto e benefícios esperados)
  • Fornecedor(es) Sênior(s) – (Representa o Fornecedor (interno ou externo), Responsável por prover os recursos e habilidades necessárias)
  • Garantia do projeto – (Representa o Comitê de Controle do Projeto, Responsável por monitorar o projeto em todos os aspectos, Não atribui ordem ao Gerente do Projeto (função apenas do executivo))
  • Autoridade de mudanças – normalmente o Gerente do Projeto exerce esta função. Representa o Comitê de controle do Projeto, Responsável por autorizar mudanças conforme limite definido pelo Comitê de Controle do Projeto
  • Suporte do projeto – (Responsável por auxiliar o Gerente de projetos em suas atividades, Serviços administrativos, Uso e orientação das ferramentas, Gerenciamento de Configuração, É usado para identificar como e por quem os produtos do projeto serão controlados e protegidos,

Responde às perguntas:

  • Como e onde os produtos do projeto serão armazenados?
  • Como os produtos e as várias versões e variantes dos mesmos serão identificados?
  • Como as alterações serão controladas, Além de definir o responsável pelo gerenciamento, recomenda-se que o padrão de documentação também seja registrado.
  • Gerente de Equipe Especialista – faz parte da equipe de Gerenciamento do Projeto
  • Responsável pelo gerenciamento da equipe especialista
  • Responsabilidade da entrega dos produtos

Gerenciar por estágios

  • Tomadores de decisão são envolvidos em intervalos apropriados
  • Um estágio de cada vez
  • Muito curto = esforço de gestão desnecessário
  • Muito longo = não possui envolvimento suficiente da gerência
  • Viabilidade do projeto é verificada no final de cada estágio

Gerenciar por exceção

  • Estabelecer limites de autoridade
  • O Corporate or Programme Management determina tolerâncias em nível de projeto para o Project Board. O Project Board determina tolerâncias em nível de estágio para o Gerente do Projeto que determina tolerâncias em nível de pacote(s) de trabalho(s) para o(s) Gerente(s) de Equipe(s) Especialista(s).
  • Tolerância
  • Tempo
  • Custo
  • Qualidade
  • Escopo
  • Risco
  • Benefício

image

Foco no produto

  • Orientado a produto (não a atividade como o PMBOK)•    Entrada ou saída•    Tangível ou intangível •    Pode ser descrito com antecedência •    Pode ser criado •    Pode ser avaliado

Customização ou adaptação (tailor)

  • PRINCE2® é uma metodologia flexível
  • Comitê Diretor do Projeto e Gerente do Projeto decidem como o método será aplicado

Bem por hoje já temos uma prévia dos 7 princípios do PRINCE2, reitero que foram apenas algumas anotações e que no futuro serão melhor compiladas, teremos nos próximos artigos os Temas e Processos e no futuro vamos observar com mais detalhes cada um deles, espero que comentem, compartilhem e voltem sempre para continuar nossa troca de informações.

Coimbra, PMP on BehanceCoimbra, PMP on FacebookCoimbra, PMP on LinkedinCoimbra, PMP on Youtube
Coimbra, PMP
Gerente de Projetos, PMO, CEO do portal Projetos e TI, Professor de Pós/MBA e apaixonado por gestão de projetos.
Associado ao PMI
Associado ao IPMA

Deixe seu comentário