Agile Projeto

Papéis do Scrum: Product Owner

O Product Owner, ou dono do produto, é o responsável por maximizar o valor do produto e do trabalho da equipe de Desenvolvimento. Como isso é feito pode variar amplamente através das organizações, Times Scrum e indivíduos.”1 .

Como podemos verificar no Scrum Guide, assim como o próprio framework do Scrum não é prescritivo quanto à forma com que o Product Owner irá realizar o seu trabalho e deixa aberto para que seja de acordo com a Organização, a pessoa que irá desempenhar tal papel, bem como o próprio time. Isso não significa que o Product Owner não tem algumas responsabilidades definidas, de acordo com o próprio Scrum Guide é dele a responsabilidade sobre o ROI (Return on Investment), além do próprio Backlog do Produto. Podemos citar como principais atribuições do Product Owner:

Expressar claramente os itens do Backlog do Produto

É de responsabilidade do PO, clarificar os itens do Backlog, ou que porventura, emergiram durante o desenvolvimento, de acordo com o que é relevante ou envolvem estratégias de Negócio. Dizemos sempre que quem entende do negócio, como um todo é o PO, apenas ele tem os argumentos necessários para justificar do ponto de vista do negócio quais são as suas reais necessidades. Ninguém melhor que ele para expressar qual seu desejo quando criou determinado item de Backlog.

Ordenar os itens do Backlog do Produto para alcançar melhor as metas e missões

Times Scrum necessitam de uma meta, ou missão claramente definida. É o PO quem define as metas de negócio e ordena os itens de acordo com a estratégia adotada para alcançar uma meta. Podemos dizer que o PO é o maestro que rege o time, mas sem determinar como o time executará o seu trabalho, mas apresentando suas necessidades, e apontando quais itens se encaixam dentro da meta a ser atingida.

Garantir o valor do trabalho realizado pelo Time de Desenvolvimento

Um bom PO sabe quanto custa para fazer cada um dos itens que ele disponibiliza no Backlog, e digo mais, sabe quanto valor irá agregar e quanto irá retornar do que foi investido. Não faz sentido um PO dirigir o trabalho para a realização de um item com pouco ou nenhum valor agregado. Este raciocínio leva o PO a ordenar os itens conforme seu valor diante dos demais itens na cadeia de desenvolvimento do Produto, deixando para serem realizados os itens que ele tem certeza que irão agregar mais valor no início, e posteriormente os que irão agregar menos valor. Com esta abordagem o time se torna mais eficiente do ponto de vista do ROI e seu trabalho passa a ser focado no que tem mais valor para o cliente final. Uma boa prática para definir o valor e se perguntar sempre: Se o projeto terminasse após esta Sprint, quais itens eu faria agora?

Garantir que o Backlog do Produto seja visível, transparente, claro para todos, e mostrar o que o Time Scrum vai trabalhar a seguir

É importante que todo o Time Scrum tenha conhecimento dos itens que virão a seguir na pilha de Backlog. O Time Scrum deve conhecer o trabalho que vem pela frente, para que possíveis surpresas sejam evitadas, e garantir saúde ao projeto.  Lembramos aqui que o Backlog é do produto e não apenas uma lista de desejos de um usuário específico. Saliento que Product Owner é apenas um papel do Scrum e não um cargo, portanto, sabendo da perda de produtividade, pode-se até trocar o PO, assim como qualquer membro do time, mas a Visão do Produto deve permanecer inalterada.

Garantir que a Equipe de Desenvolvimento entenda os itens do Backlog do Produto no nível necessário

Apenas os itens mais próximos do desenvolvimento devem trabalhados. Essa visão é necessária para que o time não perca de vista a Visão do Produto, e garantir que tudo o que vem a seguir está consistente com a justificativa de existência daquele produto em si.  Não menos importante é que seja claro para todos, pois itens que não são claros não podem ser estimados e isso causaria uma ruptura no processo iterativo e incremental, basta para isso, avaliarmos se o que vem a seguir se “encaixa” no que já está feito. Seu propósito tem de ser transparentes com tudo no processo ágil. O Product Owner é uma pessoa, não um comitê, embora possa representar os desejos de um colegiado de pessoas envolvidas nos processos do Negócio.
Não é incomum o PO ter vários influenciadores, como pessoas da alta gestão, do marketing, do departamento comercial e outros interessados, mas é de total responsabilidade dele os trabalhos citados anteriormente, bem como é dele a última palavra sobre a ordem dos itens do Backlog. Também é responsável em avaliar se a meta da Sprint foi alcançada, ou seja, é ele quem diz se um item teve seu propósito atingido ou não e com isso pode ou não ser aceito. Um ponto que levanto aqui e é muito importante o seu entendimento, é que, a meta é algo que agregue valor ao negócio, não simplesmente a entrega todos os itens com que o time se comprometeu, porém falarei em outra oportunidade especificamente sobre a meta da Sprint. Nem sempre será a pessoa que entende a fundo cada regra de negócio que o software conterá, mas é vital que ele saiba onde o time deve procurar tais regras e direcioná-los às pessoas certas quando necessário.
Também é de responsabilidade dele o Roadmap do Produto e vou mais além, pesquisas de mercado, posicionamento, estratégias para alcançar metas de negócio, são atributos desejáveis para o PO, mas que ele pode delegar a pessoas próximas a ele, mas que ele deve acompanhar de perto para garantir que o desenvolvimento esteja sempre alinhado ao Negócio. Gostou do tema? No site da Scrum.org você pode encontrar um vasto material além do descritivo e turmas do Curso Professional Scrum Product Owner. vale a pena conferir.

Referencias

  1. SCHWABER, Ken; SUTHERLAND, Jeff. Scrum Guide, Scrum.org, 2011, p. 5  
Miguel Carlos Honorio

Deixe uma resposta