Tecnologia

O que são Controladores Lógicos Programáveis e suas diferentes linguagens de programação

Na grande área da automação industrial, o termo CLP (ou PLC) é extensamente utilizado para designar um tipo de dispositivo eletrônico responsável pelo controle de processos em diversas áreas, da robótica à indústria alimentícia.

Os Controladores Lógicos Programáveis surgiram no final da década de 60, sendo criados em resposta a uma solicitação da General Motors nos Estados Unidos, que buscava uma alternativa para simplificar a atualização dos painéis elétricos de comando, processo que consumia tempo. Sua função inicial não difere muito da atual: otimizar e expandir as possibilidades de controle de máquinas, robôs e outros sistemas presentes nas indústrias. Com a revolução da informática nos anos 90, inúmeras funções foram atribuídas a estes dispositivos, e um número cada vez maior de empresas começou a oferecer modelos de controladores lógicos, com diferentes características e para aplicações específicas.

A estrutura do CLP pode ser assim definida: uma unidade principal, ou CPU, recebe e processa dados de fontes externas (alguns exemplos: sensores, botões, interfaces homem-máquina), e envia dados a dispositivos de controle (acionamentos, controladores de temperatura, iluminação). Dependendo do modelo do CLP e do seu fabricante, a CPU pode estar fisicamente separada das outras unidades, sendo a recepção e envio de dados executada por interfaces de entrada e saída. Outras unidades que podem ou não estar ligadas fisicamente à CPU são: cartões de entradas/saídas analógicas, portas de comunicação (USB, RS-232C, RS-485, Ethernet), controladores de movimento de eixos.

E como se “programa” um controlador “programável”? Através de softwares oferecidos (geralmente comercializados) pelos respectivos fabricantes. Devido ao sem-número de empresas que desenvolvem este tipo de produto, surgiu a necessidade de criar uma padronização em termos de linguagem de programação. Atualmente, a norma internacional que estabelece os padrões no quesito “linguagens de programação” dos CLPs é a IEC (International Electrotechnical Commission) 61131-3.

As cinco linguagens reconhecidas pela IEC são:

  • IL (Lista de instruções – textual, no estilo Assembly);
  • ST (Texto estruturado – textual, estilo Pascal);
  • LD (“Ladder” – gráfica, largamente utilizada);
  • FBD (Diagrama de blocos funcionais, gráfica);
  • SFC (Diagrama sequencial de funções – gráfica);

Ao longo dos próximos textos trataremos separadamente de cada uma das cinco linguagens: as principais características, pontos fortes e fracos e sua funcionalidade em relação ao tipo de aplicação.

Coimbra, PMP on FacebookCoimbra, PMP on LinkedinCoimbra, PMP on TwitterCoimbra, PMP on Youtube
Coimbra, PMP

CEO do portal, apaixonado por gestão de projetos, metodologias, minha família, professor, consultor, certificado PMP, Six Sigma White Belt.


Comentários

Deixe uma resposta