Projeto

O Gerenciamento de Projetos na Construção Civil

Aquela antiga imagem de um Engenheiro Civil que detêm muito conhecimento técnico, porém pouco domínio de ferramentas de gestão de projetos, vai ficando cada vez mais extinta. O aumento da competitividade no setor, bem como da complexidade dos projetos, exige cada vez mais das empresas a adoção de melhores práticas de gestão para sobreviver no mercado altamente exigente e gerar resultados.

Se você não conduzir a obra, a obra conduz você!

Como diria um grande amigo meu, “se você não conduzir a obra, a obra conduz você”. Nessa frase simples, que nos fazia refletir, ele queria dizer que um projeto vai acontecer, com ou sem seu bom gerenciamento, porém o silêncio para as respostas às perguntas “a que preço? ”, “qual prazo? ”, “com qual qualidade?”, “qual impacto dessa mudança?”, era de arrepiar.

Neste contexto, as práticas de gestão de projetos vêm ganhando importância dentro das corporações, e executar projetos se tornou uma das necessidades de sobrevivência e progresso da empresa moderna. O gerenciamento de projeto tem o intuito de estabelecer um processo estruturado e lógico para lidar com eventos que se caracterizam pela novidade, complexidade e dinâmica ambiental. Segundo Drucker (1998), o trabalho por projetos é o futuro das organizações.

Ser bem-sucedido em um projeto, realiza-lo de acordo com planejado, sendo medido pelo atendimento ao prazo, custo, qualidade, entre outros. Segundo o Standish Group, em seu Chaos Report de 2009, somente 32% de todos os projetos terminam dentro do prazo e orçamento previstos, e chama atenção mais ainda que o aumento médio dos custos é de 189% e o de prazo é de 222%, ambos em relação ao previsto.

Essas variações gigantescas praticamente deixam as empresas a mercê da sorte para conseguir bons resultados. Segundo Prado e Archibald (2007), existe uma estreita relação entre o nível de maturidade em gestão de projetos de uma companhia e o sucesso alcançado em seus projetos, ou seja, quanto maior o nível de maturidade, melhores resultados são alcançados.

Os desafios e particularidades dos projetos de construção civil nos colocam rotineiramente de frente com os frameworks atuais, que geram incertezas com relação às garantias de atingimentos dos objetivos propostos. Falta de definição e controle do escopo, alta interdependências entre atividades, necessidade de grande velocidade de resposta, interfaces entre várias especialidades, grande número de intervenientes, fazem com que o ambiente seja desafiador para qualquer metodologia de gestão, e nem o mais difundido guia para gerenciamento de projetos, o PMBOK, é as vezes suficiente para às demandas dos projetos de construção civil.

O guia apresenta uma proposta genérica e sua utilização para qualquer projeto requer uma adaptação. Segundo o PMBOK, a única interface entre o planejamento e execução se refere à autorização de trabalho, ou seja, o gerenciamento de projeto não se atém ao gerenciamento da produção, não existindo uma teoria articulada de produção propriamente dita.

É justamente nestas lacunas que entendo a necessidade de conhecimento em gestão de projetos, pois a definição das ferramentas e práticas a serem adotadas, aliadas ao conhecimento técnico do profissional, gera como resultado final uma boa e eficiente metodologia de gestão, visando sempre garantir o sucesso do projeto.

Cada vez mais o futuro da engenharia passa pela gestão de projetos.

Carlos Miareli

2 thoughts on “O Gerenciamento de Projetos na Construção Civil”

  1. Existe uma extensão do PMBOK para a construção, que trata de áreas específicas, aprofunda aspectos relevantes e indica ferramentas para a gestão dos empreendimentos. Vale a consulta.

Deixe uma resposta