Comunicações Governança Integração Partes Interessadas Projeto Recursos Humanos

O desafio do líder na gestão de pessoas

Mesmo que o ser humano viva em sociedade, lidar com pessoas ainda é um desafio.

Toda essa complexidade pode ser visualizada no ambiente corporativo, formado por profissionais de diferentes personalidades, cujo o confronto de valores e opiniões comumente resulta em conflitos e outros problemas que prejudicam o trabalho em equipe e a cada dia que passa as empresas compreendem que o talento humano é um dos recursos mais valiosos presentes em uma companhia e um dos grandes desafios atuais da área de Gestão de Pessoas é o de gerar um sincero comprometimento do colaborador com a organização.

Diante deste cenário, este artigo discutirá como os líderes exercem o papel fundamental na manutenção de um ótimo ambiente de trabalho, em que o convívio satisfaça todos os colaboradores.

Muito mais além que somente gerir uma equipe, o Líder deve compreender os desdobramentos que envolvem o relacionamento interpessoal. Para isso, esses cargos devem ser ocupados por profissionais devidamente treinados e capazes de valorizar e compreender o ser humano.

O Exercício da Liderança nas organizações

Deve-se zelar por cada um dos colaboradores, de forma que eles fiquem satisfeitos e motivados constantemente. Gerir pessoas constitui, sobretudo, em saber identificar corretamente como cada um reage nas diferentes situações e mudanças impostas por fatores internos e externos que fazem parte do expediente de qualquer corporação.

As lideranças precisam entender bem as capacidades e exigências de seus liderados para relacioná-las ao contexto atual e tomar as decisões mais assertivas, de forma que todos saiam beneficiados. Somente dessa forma, serão capazes de direcionar um bom trabalho em equipe, viabilizando o sucesso da organização de forma sustentável.

Uma gestão de pessoas eficaz requer acompanhamento constante do trabalho desempenhado pela equipe, bem como a realização de feedbacks que permitam visualizar possíveis problemas e frustrações que envolvam outros colegas de equipe.

Delegar tarefas com sabedoria e equilíbrio, valorizando o talento e ajudando cada um dos colaboradores a aprimorar suas habilidades, também é uma estratégia muito eficiente para construir um ambiente de trabalho em que todos visualizem com clareza a importância de sua função. Ninguém melhor para elaborar essas e outras ações do tipo que não o próprio líder.

Principal ativo de maior valor nas organizações atuais

Tanto as grandes quanto as pequenas empresas já perceberam que o recurso mais importante e concorrido dos dias atuais é o talento humano.

A diferença entre o sucesso e o fracasso empresarial passou a ser determinado pela forma como as organizações selecionam, treinam e gerenciam seus colaboradores. E este é o objetivo fundamental da área de Recursos Humanos de uma empresa, guiar o processo pelo qual as organizações desenvolvem seu capital humano com o intuito de aumentar sua competitividade, propondo uma perfeita interação dos profissionais com o sistema e os resultados do negócio.

Gestão de Pessoas e Recursos Humanos

Gestão de Pessoas é uma expressão muito comumente utilizada pelos especialistas nos dias atuais, servindo para designar a área que lida com as pessoas em uma empresa, no entanto sua responsabilidade é muito maior do que simplesmente cuidar da contratação e treinamento dos funcionários.

A área de Recursos Humanos tem sido vista como estratégica, pois ela deve saber aonde a empresa quer chegar para poder contratar profissionais a altura dos anseios da corporação. Considerada a porta de entrada de uma empresa, é ainda responsável pela integração do trabalhador ao ambiente de trabalho.

O Gestor de Pessoas é o responsável pela função gerencial que visa a cooperação das pessoas que atuam nas organizações para o alcance dos objetivos tanto organizacionais quanto individuais, buscando assim um melhor desenvolvimento e aproveitamento do potencial humano e com isso conseguir captar esse potencial pensante e empreendedor a favor da empresa.

Gestão de pessoas nos tempos atuais

No contexto atual empresarial pode-se dizer que as empresas estão voltadas, cada vez mais, para o seu corpo funcional, ou seja, as pessoas, pois são as mesmas que dão vida e traçam o caminho da organização. Elas contribuem para a formação de um clima organizacional favorável que consequentemente conduz a resultados positivos.

Porém o departamento de Recursos Humanos sozinho não tem o poder de manter os colaboradores empregados, pois apesar de ele conseguir escolher um bom profissional, oferecer bons salários e benefícios, caso os superiores diretos não souberem motivarem e desenvolverem seus subordinados todos os esforços serão em vão.

Neste cenários as organizações estão ampliando a sua visão de atuação estratégica, começando a perceber então a importância do papel do líder como desenvolvedor das competências individuais e coletivas das equipes formadas.

A Liderança e a Gestão de Pessoas

Os líderes exercem papel fundamental na manutenção de um ótimo ambiente de trabalho, em que o convívio satisfaça todos os colaboradores. Muito mais além que somente gerir uma equipe, é seu dever compreender os desdobramentos que envolvem o relacionamento interpessoal.

Para isso, esses cargos devem ser ocupados por profissionais devidamente treinados e capazes de valorizar e compreender o ser humano. Por esse motivo, ao contrário do que muitos pensam, a gestão de pessoas é uma das funções da área de liderança nas organizações, não do departamento de Recursos Humanos.

Essa ideia é pautada na teoria de que o líder conhece bem cada membro de sua equipe, o que o torna mais capacitado para administrar e integrar seus valores, desejos, opiniões, etc.

Como garantir a gestão de pessoas no ambiente de trabalho

A liderança nas organizações, portanto, tem papel muito mais além do que as obrigações hierárquicas tradicionais. Saber gerir pessoas é uma tarefa muito complexa, que exige muita paciência, discernimento e compreensão.

Por isso, precisam fazer parte das habilidades de um bom líder. As empresas devem treinar adequadamente a sua área de recrutamento e seleção para ocupar os cargos de liderança com perfis ideais.

Além da boa capacitação técnica, esse tipo de processo seletivo deve considerar o grau de motivação e a forma como essas pessoas encaram o desempenho da função de líder.

A entrevista de emprego é o momento mais adequado para realizar essa análise, porque muitos profissionais com esse tipo de experiência no currículo geralmente permaneceram um longo período no mesmo cargo e já têm hábitos que serão difíceis de mudar.

Nesse caso, implementar novas políticas de trabalho relacionadas aos valores da empresa contratante poderá soar como algo chato e desnecessário. Para evitar que isso aconteça, é preciso que as características e comportamentos empreendedores sejam identificados no momento da entrevista.

Falar que é líder é fácil. Difícil é comprovar as habilidades necessárias para esse tipo de cargo durante um teste prático. Deixe claro que a liderança é uma característica importante para sua empresa e que faz parte da sua cultura corporativa.

Tentar modificar a estrutura organizacional e despertar a liderança em colaboradores mais antigos custa caro e nem sempre é bem aceito por todos.

Serão necessárias várias campanhas de Marketing interno, palestras, envolvimento, cursos, manuais e bastante dinheiro investido. Se quiser manter um alto nível de identificação entre os valores da empresa e o dos seus colaboradores, seja transparente nas tomadas de decições e envolva seus funcionários.

A importância do papel do Líder

Cada vez mais, as organizações têm compreendido a importância de um líder na condução de uma equipe, motivando-os e desenvolvendo suas habilidades em função dos resultados e no alcance do sucesso profissional. No entanto, apesar de inúmeros estudos sobre liderança, ainda não foi possível desenvolver uma cartilha ensinando de forma clara e objetiva como se obter ou se formar um grande líder.

A liderança pode ser entendida como a forma de inspirar e motivar os colaboradores no alcance das metas. O líder deve servir de influência aos seus liderados, inspirando confiança e merecendo respeito de seus seguidores.

O verdadeiro líder é aquele que tem a capacidade de criar estratégias e os melhores caminhos a serem trilhados pela equipe, contando com o acompanhamento de seus colaboradores, que concordam e compartilham com as ideias apresentadas, considerando o líder o principal responsável pela realização dos objetivos do grupo.

A liderança deve basear-se na confiança mútua: o líder precisa confiar e apostar no talento de seus liderados e, em contrapartida, os liderados devem ter total convicção da fidelidade das palavras de seu líder.

Importante ressaltar que bons líderes devem saber inspirar os outros com o poder e o estímulo de sua visão, dando as pessoas a sensação de propósito e orgulho no trabalho desenvolvido. Existem pessoas que já nascem líderes natos e outras que podem ter suas habilidades desenvolvidas.

Para a empresa não basta somente saber liderar, o líder precisa entender os valores defendidos pela organização para saber guiar seus liderados, e principalmente acreditar nas ideias que está propondo para que possa fazer com que sua equipe se envolva e se comprometa com as metas estabelecidas.

Algumas habilidades podem ser consideradas indispensáveis, como:

  • A capacidade de interação com a equipe e o poder de se relacionar com seu pessoal oferecendo a eles soluções que permitam o alcance das metas;
  • Saber transmitir adequadamente as mensagens e se adaptar a diferentes tipos de grupos;
  • Alto nível de iniciativa e motivação e vontade de superar adversidades e obter resultados;
  • Ter um bom conhecimento operacional a fim de fornecer o suporte necessário e ainda uma elevada capacidade intelectual, inteligência emocional e imaginação.

Contudo, pode-se afirmar que tais habilidades não são obrigatoriamente intrínsecas a todo líder, as mesmas podem ser trabalhadas e desenvolvidas ao longo dos anos.

O líder é responsável pelo criar caminhos, condições e orientações quanto ao crescimento profissional de cada um dos colaboradores que tem em sua equipe, e ele deve desenvolver os pontos fortes e inativar os pontos fracos das pessoas sobre o seu comando, fazendo com que cada indivíduo se sinta parte do processo, comprometendo-se assim com o resultado.

Quando os empregados se identificam com os líderes, também se dedicam à causa, oferecendo assim esforços extraordinários e alcançando desempenhos significativos. O líder tem a obrigação de despertar nos colaboradores a vontade de querer aprender e sempre se aperfeiçoar a fim de atingir e ultrapassar metas estabelecidas e alcançar novos patamares de desenvolvimento.

A motivação tem um forte impacto na liderança, sendo um dos, senão o principal fator que impulsiona a equipe na realização de metas e objetivos.

Entretanto cada indivíduo se sente motivado de uma forma diferente, não sendo somente entendida como motivação financeira, mas estando muito ligados também a tarefas desafiadoras, oportunidades de aprendizado e promoção e principalmente reconhecimento profissional

Conclusão

A liderança é a qualidade de quem pensa estar sempre a frente de seu tempo, tem o desejo constante de aprender e a capacidade de influenciar, além da consciência de que deve ser digno de confiança e que faz parte da equipe, mas com o papel fundamental de direcionar os esforços para o bom andamento dos trabalhos de uma organização.

O líder de ontem era um tomador de decisões que abordava a melhor maneira de explorar as habilidades de um funcionário em proveito da organização.

Os funcionários eram vistos como ferramentas e recursos para a execução das metas da organização. O líder atual é um desenvolvedor de pessoas e construtor de relacionamento, ou seja, um coach.

O processo de coaching pode ser considerado como o aprimoramento na arte de liderar, onde o coach orienta, aconselha, desenvolve e estimula o coachee, ao passo que este aproveita o impulso e a direção para aumentar seus conhecimentos, aprimorar seus potenciais, aprendendo coisas novas e deslanchando seu desempenho.

Com este processo as empresas têm buscado cada dia mais melhorar a atuação de seus executivos na busca de excelência profissional. Grande abraço e te vejo na próxima semana

Flávio Costa on InstagramFlávio Costa on LinkedinFlávio Costa on Twitter
Flávio Costa
Gerente de Projetos na Hexagon
Gerente de projetos com mais de 15 anos de experiência desde desenvolvimento de software, gestão de portfólios, programas e projetos, liderança e formação de equipes. Possui as principais certificações gestão de projetos como: PMP (Project Management Professional) pelo PMI, PRINCE2 Practitioner, PRINCE2 Agile e MoP (Management of Portfolio) pela Axelos, Agile Scrum pela Exin entre diversas outras.

Gerenciou grandes projetos e programas de implantação de sistemas nos segmentos de comércio, varejo, engenharia, segurança pública, informações geográficas e setor público sempre com foco no relacionamento interpessoal e gestão de mudança com alto valor estratégico. Sempre engajado e comprometido em construir e liderar equipes para atingir as metas corporativas e entregar valores e benefícios a organização e cliente.

Atualmente é: Gerente de Projetos na Hexagon, Gerente de Portfólio no PMI-SP, Professor em gestão de projetos pelo SiteCampus e Colunista nos portais TI Livre e Projetos e TI.

Deixe uma resposta