Conhecimento Custo Escopo Projeto Tempo

Entenda o que é uma Baseline e sua importância nos projetos

O artigo desta semana reforça a importância, entendimento sobre a Linha de base (Baseline) nos projetos. Quando devemos criá-las, atualizá-las e principalmente porquê precisamos de uma linha de Base?

Vamos lá !

O que é a Linha da Base?

A definição deste termo no PMBOK Guide (Project Management Body of knowledge) do PMI como é “um plano aprovado para um projeto +/- mudanças”. Portanto devemos considerar a linha de base como um planejamento acordado e aprovado entre as partes interessadas, como a meta de progresso (evolução) para o projeto.

Neste instante, a linha de base representa uma fotografia do plano de projeto.

Por que devemos fixar uma Linha de Base?

Precisamos fixar e definir uma linha de base, pois é com base nela que os números reais do projeto serão comparados. As Linhas de Base são importantes, porque como todo projeto tem características únicas e repleto de incertezas, estes são passíveis de mudanças e portanto, os planos do projeto naturalmente vão mudar.

Para que serve a Linha de Base?

Esta linha de base serve para acompanhamento de projetos, ou seja, um caminho pelo qual o projeto deverá seguir. Importante destacar que durante o ciclo de vida do projeto, a Linha de Base permite a comparação entre o “previsto” e o “realizado” e fornece elementos de avaliação para tomadas de decisões, seja corretiva, reparo de defeitos, ou ações preventivas a fim de controlar estas mudanças através de um comitê de mudança no projeto ou minimizar seus desvios.

Em que momento devo estabelecer minha Linha de Base?

Todas as linhas de base devem ser estabelecidas dentro da fase de planejamento, ou seja, antes de se iniciar a execução do projeto.

Principais tipos de Linha de Base

  • Escopo: É a definição de tudo o que se pretende “produzir” de forma clara e objetiva e seus critérios de aceite para o projeto que está sendo gerenciado.
  • Tempo: A Linha de Base de tempo é a informação que gera um calendário para o projeto. Nela especifica-se datas e distribuição de atividades de maneira que uma cadeia com todos os acontecimentos em ordem cronológica será construída.
  • Custo: A linha de base de custo é um orçamento de quanto se pode investir no projeto. Este orçamento é realizado através de técnicas como: Estimativas de 3 pontos, análogas, paramétricas.
  • Qualidade: São métricas identificando as qualidades que se espera obter com os produtos ou resultados do projeto.

Posso ter outros tipos de Linha de Base?

Normalmente consideramos em um projeto, as três principais variáveis (ou restrições): Custo, Escopo e Tempo, também conhecida como a Linha de base da tríplice restrição, mas podemos considerar como linha de Base qualquer meta que buscamos controlar e comparar (Planejado x Realizado) durante a fase de execução e controle.

Podemos criar outros tipo de linha de base como: Riscos e benefícios que além de Custo, Escopo, Qualidade e Tempo faz parte das metas a serem controladas em um projeto de acordo com a abordagem britânica do PRINCE2 (PRoject IN Controlled Environment) da OGC (Office of Government Commerce).

Quando o baseline deve ser atualizado?

Geralmente quando uma mudança ocorrer no projeto e o Comitê de Controle de Mudanças ou autoridade de mudança aprovar que a mudança deva ser realizada, a linha de base deverá ser atualizada refletindo o novo momento (fotografia) e uma nova meta a ser alcançada e controlada para o projeto.

Conclusão

Para encerrar é importante salientar que idealmente não devemos atualizar a todo momento uma Linha de Base. Ela só deve ser atualizada ou gerada nova linha de base somente após avaliação dos impactos critérios muito bem definidos quanto aos objetivos do projeto, pois neste momento poderá haver restrição de tempo ou de orçamento que não comportarão uma nova Linha de Base e com isso ações para recuperar o projeto sem a alteração da linha de base deverão ser consideradas.

Flávio Costa on InstagramFlávio Costa on LinkedinFlávio Costa on Twitter
Flávio Costa
Gerente de Projetos na Hexagon
Gerente de projetos com mais de 15 anos de experiência desde desenvolvimento de software, gestão de portfólios, programas e projetos, liderança e formação de equipes. Possui as principais certificações gestão de projetos como: PMP (Project Management Professional) pelo PMI, PRINCE2 Practitioner, PRINCE2 Agile e MoP (Management of Portfolio) pela Axelos, Agile Scrum pela Exin entre diversas outras.

Gerenciou grandes projetos e programas de implantação de sistemas nos segmentos de comércio, varejo, engenharia, segurança pública, informações geográficas e setor público sempre com foco no relacionamento interpessoal e gestão de mudança com alto valor estratégico. Sempre engajado e comprometido em construir e liderar equipes para atingir as metas corporativas e entregar valores e benefícios a organização e cliente.

Atualmente é: Gerente de Projetos na Hexagon, Gerente de Portfólio no PMI-SP, Professor em gestão de projetos pelo SiteCampus e Colunista nos portais TI Livre e Projetos e TI.

Deixe uma resposta