Empregabilidade e seu valor no mercado

ConvertendoEstrategiaemAcao

Bem, desde muito cedo ouvi algumas coisas entre a relação custo x beneficio, mas pouco sobre trabalho x preço, então acabei percebendo que de alguma forma os profissionais não são valorizados ou o sistema de ensino acaba por criar cidadãos estranhamente descontentes, mas vejo que está tudo na forma de pensar.

Bem você assistiu este vídeo acima e deve estar dizendo a si mesmo: “Se eu sou o dono do carro, não pagaria 50 reais num serviço destes” ou “Cobrar somente 50 reais para evitar transtornos com seguradora, guincho, papelada e ainda poder voltar para casa cedo é barato demais” tudo vai do seu ponto de vista.

Mas veja bem, um profissional precisa ser bem pago, uma vez que ele investiu tempo, dinheiro, habilidades sociais, e alguns sacrifícios e percalços pelo caminho, lembro do tempo que a formatação de um microcomputador custava 30 ou 40 em qualquer lugar e onde eu comecei a trabalhar meu chefe (que é um grande amigo e mentor até hoje) cobrava no mínimo 90 o que a 15 anos atrás era muita coisa.

Aprendi nessa mesma época que custo é diferente de valor, nenhum computador que fazíamos retornava por problema ou defeito, até porque foram anos de estudo para deixar cada um deles perfeito, em troca os clientes recomendavam cada dia mais nosso serviço.

E de onde vem esse ‘valor’? Ora, basta pensar um pouco, você prefere que um profissional realize um projeto que você não tem ideia de como faze-lo pelo valor do trabalho dele ou pelo jeitinho brasileiro de ter tudo na mão sem trabalho?

Bem, vejo da seguinte maneira, vamos pegar por exemplo o emprego de secretária aqui em minha região (interior de SP) e vamos analisar alguns pontos:

O valor para se qualificar

Quando queremos um profissional ele deve estar apto a realizar a função que lhe é designada, logo no caso de uma secretária ela deve primeiro se formar e ter um SRTE (Documento comprobatório ou certificação da área) mas para isso vai gastar pelo menos 03 anos de curso superior e gastar a média de 20mil. Esse montante em 03 anos pesa no boldo de qualquer pessoa.

A proposta de emprego

Vejo em diversos anúncios a questão de o profissional ter mais qualificação do que realmente será exigida pelos contratantes, não sei se é algo que os contratantes conhecem, mas a área de psicologia influi diretamente nessas propostas e vejo claramente que eles não possuem nenhum conhecimento do que o funcionário vai fazer.

Fui em uma entrevista de emprego anos atrás e tinha acabado minha pós em gestão de projetos e queria realmente mudar de área, este era meu desejo, mas logo de cara após 8h de testes, dinâmicas, entrevistas, testes psicológicos e tudo que tinha direito, empaquei na psicóloga que dizia “Mas estou vendo aqui que você foi programador, porque quer ser gerente de projetos?” e mesmo vendo a ‘guinada’ que dei na carreira ela insistiu em me deixar de fora só porque tinha conhecimentos técnicos e estava mais propenso à ser desenvolvedor, hoje sou gerente de projetos e me orgulho disso.

A batalha salarial

Você percebeu que gasta 20mil em média numa faculdade, mais uns 15mil numa pós, investe em cursos, aprende hard e soft skills, tira algumas certificações e no final encontra vaga de 1500 inicial? Tem algo muito estranho nisso, já vi vagas para gerente de projetos que ‘exige’ certificação Microsoft, certificação PMP, certificação em Oracle (e mais bancos de dados), ITIL, COBIT, CCNA(CISCO), Delphi, .NET, C#, ASP, ASP.NET, PHP, RUBY, PYTHON, C++, Segurança da Informação, CBAP, e mais 45 linguagens, para no final você ter 15 de ticket refeição, vale transporte e um salário (exorbitante) de 2000 (isso mesmo dois mil reais) mas vc vai gerenciar projeto, certo?

Certo, desde que entenda que você é o gerente, o stakeholder, o programador, o web designer, o web master, o analista de banco de dados, o indicador de resultados, o comercial, o relacionamento com cliente e sim, se der problema nesse ‘projetinho’ você está despreparado para o mercado, mas me diga, que mercado?

A inversão de valores e a média gerência

Você já passou por entrevistas onde ao olhar para seu curriculum o entrevistador se assustou? Pois é isso acontece quando você investe em conhecimento, e o pior é quando você pergunta ao entrevistador: “Poderia me dar algumas dicas sobre o cargo oferecido, caso tenha passado por ele?” Pronto! Seu futuro gerente vai olhar seu curriculum e com certeza dirá “Ligaremos depois” o que nunca acontece, não é?

Lembre-se que a média gerência tem medo de contratá-lo simplesmente porque no futuro você pode tornar-se uma ameaça

Como valorizar seu trabalho e seus conhecimentos

Lembre-se, você está oferecendo os seus conhecimentos, eles são na verdade produtos que você pode oferecer, todo seu know-how está aplicado intrinsecamente nos projetos que você vai gerenciar e nos artefatos que vai construir, não basta baixar um Canvas1 e simplesmente utilizar o Pitch, seu conhecimento sobre o uso estará agregando valor para a empresa e isso vale muito.

Custo e benefício X Estudo e conhecimento

Não basta estudar quase 20 anos sem conhecimento prático, e não basta ter conhecimento técnico sem estudo, mas estudar sem parar ou se certificar sem parar também não ajuda você, o sistema de ensino (ao meu ver é fraco) e depende de cada pessoa não só das escolas, como já vi antes pela internet “A escola ensina, os alunos devem vir educados de casa”. Estude, entenda e compreenda que o sistema ainda vi mudar, mas comece mudando você, seu trabalho tem um valor de investimento mas lembre-se de agregar sua experiência, e muito em breve, gerando conteúdo relevante você conseguirá sair do ‘emprego’ e passará a ‘trabalhar’ com o que gosta na vida.

Como diria meu mentor e primeiro chefe Lourimir “Trabalhe com o que gosta e você nunca mais precisará trabalhar na vida”.

Espero seu comentário aqui.

  1. Project Model Canvas disponível em – www.pmcanvas.com.br  

Comentários

comentarios

Coimbra, PMP on sabbehanceCoimbra, PMP on sabfacebookCoimbra, PMP on sablinkedinCoimbra, PMP on sabyoutube
Coimbra, PMP
Gerente de Projetos, PMO, CEO do portal Projetos e TI, Professor de Pós/MBA e apaixonado por gestão de projetos.

Coimbra, PMP

Gerente de Projetos, PMO, CEO do portal Projetos e TI, Professor de Pós/MBA e apaixonado por gestão de projetos.