Certificação PMP – A experiência de conquistá-la pela 2ª vez.

Eu acredito que não sou o primeiro e nem serei o último a ter perdido uma certificação. Isso aconteceu comigo em relação a minha certificação PMP, obtida inicialmente no ano de 2006. Independente do motivo que me levou ao descredenciamento, esse fato causou muito incomodo, pois ainda me lembro do esforço que foi para conquista-la e da importância que a mesma tem em nossa qualificação profissional.

Consciente da estupidez que cometi, organizei-me e iniciei o cumprimento das etapas para me tornar elegível para realizar a prova. Optei por fazer novamente um curso preparatório.  Fiz a aplicação de minha experiência como gerente de projetos junto ao PMI e obtive a minha elegibilidade. Para alguns, a experiência de sentar novamente em sala de aula e rever todos os tópicos que abrangem a prova pode ser desgastante, mas para mim foi muito interessante, principalmente por poder trocar novas experiências com profissionais das mais variadas áreas.

Tão logo tive o sinal verde do PMI, agendei a prova e dei continuidade a minha rotina de estudo até a véspera da mesma. Não há como negar que existe um certo nervosismo quando vamos ser avaliados, porém o mesmo sumiu quando me sentei diante do computador e iniciei a prova. A confiança no meu conhecimento teórico aliado a prática adquirida me imbuíam da certeza de um resultado positivo. E foi com essa certeza que fiz as questões. O tempo previsto para a realização da prova passou como um raio e ao final, o clique para obter o resultado. Nesse momento, há a sensação de que cada minuto de espera passa a ter 180 segundos, ao invés nos normais 60. Bem, o tão esperado resultado veio na tela e…

NÃO PASSEI!!!

É isso mesmo, não passei na prova. O abalo emocional que me abateu foi forte, afinal, eu já obtive anteriormente essa certificação e teoricamente possuía as qualificações necessárias para obtê-la novamente. Os pensamentos mais sabotadores possíveis se alojaram em minha mente e não foi fácil lidar com eles, porém, além do fato de provavelmente não ter estudado o suficiente, existia um motivo mais grave que me levou a esse fracasso.

Fui para um intercambio nos EUA e lá, pensando “fora da caixa”, pude identificar que o que ocorreu comigo foi o que de pior poderia ter acontecido. Eu me deixei levar pela prepotência de ter experiência prática e negligenciei pontos importantes a serem estudados para a prova. Faltou humildade da minha parte.

Retornei da minha viagem e agendei de imediato uma nova prova, após estimar o tempo para rever toda a matéria. Iniciei novamente minha rotina de estudos, porém, agora com a percepção de que precisava olhar para esse desafio como se fosse a primeira vez. E foi assim que fiz.

E novamente vem o dia da prova, o nervosismo inicial, a execução das questões, o tempo passando como um raio, o clique final para saber o resultado e óbvio, a sensação de que o tempo de espera do resultado é muito maior que o que realmente é. E o resultado veio…

APROVADO!!!

A lição aprendida que tiro desse episódio é que sempre temos que ter muito cuidado com as percepções equivocadas que caminham mascaradas com a nossa experiência e que foco, planejamento, perseverança e disciplina continuam sendo elementos essenciais para alcançar qualquer objetivo que desejamos.

Ah! Antes que me perguntem…  Sim, tive medo de falhar novamente na prova.

Desejo boa sorte e sucesso a todos.

Comentários

comentarios

João Luiz S. de Souza
na