Projeto

As 6 Leis de relacionamento com o cliente 7/7

Olá, chegamos ao ultimo artigo da serie sobre as 6 leis de relacionamento com o cliente, lembrando que é o cliente que ira no final das contas determinar seu sucesso ou seu fracasso,  bom então aqui está a sexta e ultima lei.

Lei da Experiência do Cliente # 6: Você não pode fingir

Você pode enganar algumas pessoas por algum tempo, mas a maioria delas pode, eventualmente, perceber o que é real e o que não é. Isso pode ocorrer de dois modos, Primeiro de tudo, os funcionários podem sentir que experiência do cliente não é realmente uma prioridade para a equipe executiva.

Em segundo lugar em marketing, Não importa quanto dinheiro você gaste em publicidade, você pode atrair o cliente, mas nunca conseguira através do marketing conquista-lo.

“A marca de um verdadeiro profissional, independente de qual seja o seu negócio, é reconhecer que as melhores informações comerciais que você pode obter nunca são encontradas em um relatório ou em uma informação de segunda mão. É através de uma dieta constante de informações diretas, imediatas, por parte de seus clientes e funcionários.”

Harvey Mackay

Aqui estão algumas implicações desta lei:

  • Não se esconda atrás de uma quarta prioridade. Não é possível ter uma longa lista de prioridades, não há nenhuma maneira de se dispor uma grande dose de atenção a muitos. Uma boa regra é: Qualquer coisa abaixo de sua terceira prioridade, não é uma prioridade, Então, coloque a experiência do cliente em uma de suas 3 prioridades.
  • Às vezes é melhor não começar. Se você não está comprometido com a experiência do cliente, então, é melhor não começar um grande projeto, é um monte de trabalho duro. E se a experiência do cliente não for uma prioridade, então o esforço provavelmente será em vão. O resultado: os funcionários frustrados estarão cada vez mais relutantes em se envolver nesses tipos de projetos no futuro.
  • Anuncie para reforçar, não para criar posicionamento. Publicidade não pode fixar no cliente uma ideia fora da realidade, o que você pode fazer com marketing é reforçar a verdade. Se você quer mudar a forma como você é visto, primeiro deve começar por tratar melhor os clientes; e depois usar a publicidade para reforçar a nova forma que eles estão sendo tratados.

Conclusão: Se você não está comprometido com a experiência do cliente, você só pode enganar a si mesmo.

Epílogo: não quebrar as seis Leis

As 6 leis da experiência do cliente não são destinadas a restringir comportamentos. São significados para capacitar os esforços e experiências altamente eficazes com clientes. Ao compreender estas verdades fundamentais sobre como as pessoas e as organizações se comportam, as empresas podem tomar decisões mais inteligentes sobre o que eles fazem e como eles fazem.

Indo contra qualquer uma dessas leis, provavelmente, irá causar maus resultados. Mas se você se seguir estas leis, então você está melhor posicionado para oferecer grandes experiências aos seus clientes.

Aqui estão algumas ideias sobre como aplicar as seis leis:

  • Tratá-las como sagradas. Embora possa ser possível encontrar exceções isoladas a todas essas leis, eles descrevem com precisão o comportamento básico de pessoas e organizações. Então, não perca seu tempo em racionaliza-las por que eles não se aplicam a você. Em vez disso, figure a forma de capitalizar todas as leis para a melhoria de sua empresa.
 
  • Certifique-se de que você não está quebrando-as. Olhe para essas leis regularmente, especialmente quando você está começando um novo projeto. Se perguntar: Este projeto irá quebrar alguma das seis leis da experiência do cliente? Se a resposta for sim, não vá em frente. Encontrar alguma outra abordagem que esteja de acordo com essas leis.
 
  • Compartilhar com outras pessoas. As seis leis terá o maior impacto quando são amplamente compreendidas em toda a sua organização. Então compartilhe estes artigos com o maior número pessoas possível.

A CONCLUSÃO: compreenda as seis leis, pelo amor de seus clientes.

Rafael Henrique

Deixe uma resposta