Certificação Projeto

APROVADO! – Entrevista com Henrique Moisés, PMP®

No dia 16 de Fevereiro meu companheiro de trabalho fez a prova para certificação PMP® e passou, o mais interessante é que ele já tinha feito a CAPM® mas notou diferenças grandes na prova, já que a minha está marcada também resolvi entrevista-lo e tirar algumas dúvidas afinal a minha chega logo logo, (Parabéns Henrique!!!) se você ainda tem dúvidas se vai fazer ou não a prova, leia e tire suas dúvidas via comentário, um bom fim de semana a todos.

Você é PSM I (Professional Scrum Master I), CAPM® e, agora conseguiu a certificação PMP®, para você qual será a influência destas certificações em sua vida profissional?

Henrique Moisés CAPM®, PSM-I, PMP®O que podemos perceber em nosso dia-a-dia, conversando com contatos que atuam na mesma área e consultando oportunidades de empregos divulgadas é que certificações são muito valorizadas pelo mercado, principalmente no setor de tecnologia da informação. Essa valorização chega a ponto de ser exagerada, como se um profissional certificado OBRIGATORIAMENTE possui mais conhecimentos que um profissional não certificado. Isso não é verdade, mas devemos estar alinhados ao mercado para poder colher os melhores frutos.

Considero que, profissionalmente, as certificações nos proporcionam melhores oportunidades de trabalho e remuneração. Mas o que considero que terá mais influência em minha vida profissional é o conhecimento que adquiri estudando para as certificações. Durante os estudos nós temos contato com pontos de vistas diferentes sobre o mesmo assunto e isso nos proporciona um entendimento diferente do que tínhamos, podendo complementar nossa visão anterior de forma construtiva, nos tornando profissionais mais completos.

Qual foi sua rotina de preparação para a prova? Estudava a muito tempo, ou simplesmente marcou a prova e decidiu que faria o exame?

Tive uma grande vantagem para a certificação PMP®, já havia estudado por um período para a certificação CAPM®. Isso fez com que eu tivesse uma bagagem de conhecimento em uma parte do conteúdo do exame e me proporcionou uma redução na quantidade de horas a estudar para a certificação PMP®.

Comigo acontece o que deve acontecer com a maioria das pessoas, só levamos os estudos a sério se tiver uma data definida para a prova. Foi o que fiz. Defini a data de realização da prova e, desde então, comecei a estudar praticamente diariamente.

Estudei por cerca de dois meses antes da certificação PMP®. Acredito que o período de estudo não deve passar muito disso.

Sempre que estudamos chegamos a um ponto que não conseguimos absorver mais nada, a cabeça já está cheia. Acredito que dois meses foi o tempo exato para isso acontecer comigo.

Qual foi sua rotina de estudo e suas dicas para quem ainda está se preparando? Utilizou alguma técnica específica? Qual?

Durante os dois meses que estudei para a certificação PMP®, estudei praticamente diariamente e intensificava os estudos aos sábados. Aos domingos eu evitava estudar ou então apenas dava uma lida em algum tópico que estava com dúvida.

Utilizei três fontes de informação para os estudos:

  1. PMBOK®;
  2. Livro da Rita Mulcahy;
  3. Curso preparatório.

O PMBOK® foi o menos utilizado, seu propósito não é de ser um material de estudos. O livro da Rita é, com certeza, um dos melhores, se não o melhor, material preparatório para o exame. O curso preparatório que fiz foi via internet pela TIEXAMES. Particularmente sempre prefiro realizar cursos pela internet pois os mesmos seguem o meu ritmo e minha disponibilidade de horários, além de possuírem custos extremamente acessíveis.

Meu roteiro de estudos era basicamente o seguinte:

  1. Curso preparatório completo;
  2. Leitura do livro da Rita, realizando os simulados dos módulos;
  3. Consulta ao PMBOK® para esclarecer dúvidas;
  4. Simulado com 200 questões para me familiarizar com a extensão da prova;
  5. Curso preparatório. Apenas áreas de conhecimento com desempenho inferior no simulado;
  6. Leitura do livro da Rita. Sem a mesma intensidade da primeira leitura;
  7. Simulados por área de conhecimento;
  8. Simulados por grupos de processo;
  9. Leitura do livro da Rita. Leitura rápida, anotando pontos importantes;
  10. Simulado com 200 questões para avaliar desempenho;
  11. Leitura dos pontos importantes anotados, memorização de fórmulas e dos processos do PMBOK® (ultima semana)

Reservava cerca de duas a três horas de estudos por dia. Aos sábados estudava cerca de oito horas. Não existe segredo para passar no exame, mas também não existe receita de sucesso. Estudar é necessário. Estudar até cansar. Mas relaxar também é importante.

O exame da versão 4 do Guia PMBOK® termina dia 31/07 e será atualizado para 5ª versão, dá tempo de um candidato se preparar para 4ª versão ou é melhor que se estude a versão nova?

Depende da disponibilidade do candidato para estudar. Acredito que um sacrifício nesse momento é válido. Qualquer mudança na prova gera uma grande mudança nos estudos e também proporciona certo “desperdício” do conhecimento já adquirido.

Acredito que, uma pessoa com disponibilidade de horários semelhante a que relatei acima, possa realizar a prova até dia 31/07 sem problema algum e sem ter que “correr” nos estudos.

Aprova é extremamente extensa e com um período que deixaria muitas pessoas desconfortáveis, qual foi sua maior dificuldade na realização da prova? O que mais surpreendeu na hora de estar cara-a-cara com as questões?

Se o candidato à certificação estudou adequadamente, deve tomar cuidado com dois pontos, em minha opinião: 1- Ansiedade; 2- Tempo de prova.

A ansiedade pode trazer insegurança e isso pode ser extremamente prejudicial na hora da prova. O tempo de prova é suficiente para realizar a mesma, desde que o candidato não fique “amarrado” a uma questão que não consiga responder. O que precisamos entender é que não sabemos responder tudo, e a prova terá questões que não conseguiremos responder.

Quando fui prestar a certificação estava ansioso dentro do limite “aceitável”. No início do exame, parece que as questões que mais tinha dúvidas foram sorteadas para virem nas dez primeiras questões. Isso me preocupou bastante. Passando as primeiras questões, a “coisa” fluiu tranquilamente a ponto de eu ter a certeza de que seria aprovado antes mesmo de finalizar o exame.

Em relação ao tempo de prova, nunca tive problema com isso pois sempre aceitei que erraria questões e nunca tentei aproveitamento de 100%. os simulados de 200 questões nos ajudam a adaptar nosso ritmo à duração da prova. Esses simulados não são úteis para fixar conhecimento.

Portanto, controlando a ansiedade e o tempo, quem estiver preparado, será aprovado. Mas não é tão fácil controlar como é fácil falar de controle.

Qual foi a parte mais tranquila da prova e sua recomendação para quem quer se certificar?

A parte mais tranquila da prova é ter a certeza de que se preparou e que pode encarar sem medo.

Minha recomendação é bem simples e óbvia: Quanto mais difícil é a preparação, mais fácil é a prova. Respeite a prova, mas não tenha medo dela. Respeitando você estará preparado.

Boa sorte a todos que pretendem se certificar. Tenham força e paciência que o resultado será positivo.

Coimbra, PMP on BehanceCoimbra, PMP on FacebookCoimbra, PMP on LinkedinCoimbra, PMP on Youtube
Coimbra, PMP
Gerente de Projetos, PMO, CEO do portal Projetos e TI, Professor de Pós/MBA e apaixonado por gestão de projetos.
Associado ao PMI
Associado ao IPMA

Deixe seu comentário